Lá Vem Resenha: Quatro & Divergente

Quatro

Autor(a): Veronica Roth
Páginas: 272
Classificação: 5\5
Sinopse: Quatro - Reunindo quatro histórias da série Divergente contadas da perspectiva do personagem Tobias, e três cenas exclusivas, Quatro Histórias da série Divergente oferece aos fãs da saga criada por Veronica Roth a chance de conhecer melhor a personalidade de um personagem fascinante e complexo e a chance de mergulhar mais fundo na sociedade dividida em facções criada pela autora. Com mais de 21 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, a série Divergente chegou aos cinemas com Shailene Woodley e Theo James nos papéis principais.


" Hoje, quero apenas sair correndo."

Hey amores e amoras! Mais uma vez começo eu uma resenha dupla! E embora, eu não tenha planejado nada, muito pelo contrário estou é mega atrasada com relação as resenhas, estou aqui, na semana de estreia de Insurgente para falar de Divergente e do livro Quatro


" Não sou Tobias Eaton, não mais, nunca mais. Sou um membro da Audácia."

Vou começar falando sobre o livro Quatro, que como já diz o título, traz dessa vez histórias sobre o personagem Quatro. Antes de ler aos livros da série, eu assisti o filme. Inclusive você pode conferir a resenha do filme aqui. Então, quando resolvi ler os livros, eu decidi começar pelo comecinho. Antes da história da Tris, e da guerra. Por isso, comecei com o Quatro.


" Não sei se a coragem é algo que adquirimos com a idade, como a sabedoria, mas talvez aqui, na Audácia, a coragem seja a forma mais alta de sabedoria, o reconhecimento de que a vida pode e deve ser vivida sem medo."

Não podia ter tomado decisão mais acertada! Foi uma das melhores coisas que fiz. Principalmente, visto que eu só leria o livro do Quatro, após terminar a trilogia! Ou seja, eu não ia dar conta! Ia ser muito sofrimentooo! Mas isso é história para outra resenha... 

Pois bem, eu comecei o livro toda animadinha, com as expectativas lá em cima, e não me decepcionei. Só tem algo que eu gostaria de ressaltar, que se passa logo no início do livro, e que eu fiquei de queixo caído quando li. Divergente, é uma história incrível. Sério?? Só, que ela foi criada pelo ponto de vista do Quatro!!! E devido a um impasse no meio da narrativa, a autora abandonou a história, voltando quatro anos depois pela visão da Tris. 

Agora que eu falei sobre isso, posso continuar com a história. O que dizer do Quatro? Tudo que eu penso sobre ele, parece muito pouco para o que ele é. É um personagem impactante, forte, inseguro e intenso. E começar lendo sobre ele, me ajudou muito a entendê-lo nos outros livros da trilogia. 


" Olho por olho. Ferida por ferida."

Desde muito jovem, ele lida com a dor. Seja a física, por conta das agressões sofridas pelo pai. A da perda e do abandono de sua mãe. Ou a dor de não poder ser quem ele é em nenhum momento de sua vida. Eu sinceramente sofri muito com ele! Mas acho que tudo que ele se tornou, foi o bastante para fazer dele alguém bom, como eu não imaginaria ser capaz de me tornar tendo sofrido tudo o que ele sofreu. E também foi o suficiente para provar a todos, que diferentemente do que eles pensavam, ele era alguém com potencial, força e livre!


" Percebo que tudo o que tenho são os pequenos momentos de rebeldia que consigo encontrar (...) Precisarei procurar por mais deles, mais momentos breves de liberdade em um mundo que se recusa a permitir que eles existam."

Nesse primeiro livro, minha paixão pelo personagem foi instantânea! Não houve uma única história dele que eu não tenha amado. O livro é divido em quatro contos sobre ele, e mais algumas cenas extras. Que particularmente, são mega especiais, e importantes ao meu ver.


" Os mortos podem ser nossos heróis porque não
podem mais nos decepcionar; eles apenas melhoram com o tempo, à medida que esquecemos cada vez mais como eram em vida."

Após passar a vida sofrendo por conta de seu pai. Um dos líderes da Abnegação, facção da qual faz parte, Tobias Eaton, tem a chance de mudar sua vida escolhendo outra facção na cerimônia de escolha. E surpreendendo a todos, assim como a ele próprio ele escolhe a Audácia. Em um ato de rebeldia e vingança contra o pai, ele acaba escolhendo a facção mais difícil e aventureira de todas. O que o leva para um caminho sem volta, e o mostra quem ele realmente é.


" (...) Nós devemos apenas fazer com que a culpa nos ajude a fazer mais no futuro."

Na iniciação de Tobias, eu não passei nem metade dos medos que passei com a Tris. Ele é forte, decidido, e principalmente obstinado. Ele quer, ele consegue! E essa foi uma das coisas que eu mais amei. Afinal, quem daria alguma coisa por um careta, vindo da abnegação, a facção do altruísmo, que apanhava do pai? Pois é, não se julga um livro pela capa!


"Meu instinto imediato é de pressionar você até que você ceda, só para ver o quanto terei que empurrar"

Se tornando o melhor da turma em pouco tempo, batendo recorde com apenas quatro medos, e por isso o nome Quatro, ele começa a ser invejado pelo insuportável Eric. Que personagem chato! Tenho vontade de matá-lo toda vez que lembro dele!! Mas mesmo com todos os obstáculos que lhe aparecem, e são muitos, ele se mantém fiel ao que acredita. Não aceita se tornar líder da facção, e se mantém longe de encrencas ensinando os iniciandos. Até que ele conhece Tris, e sua vida nunca mais será a mesma.


"Portanto, se a
lealdade é impossível, pelo que devo lutar?"

Essa questão do amadurecimento do Quatro é fascinante! Eu já cansei de dizer, que nada me deixa mais feliz em um livro do que acompanhar o desenvolvimento dos personagens. Então imagina a sensação de realização que tive ao ver o Quatro em tão pouco tempo, se tornar um homem, bem diante dos meus olhos?!! Foi incrível! 

O mais fascinante é lembrar que ele tem apenas dezoito anos!! E ainda assim, já pensa e age como um adulto experiente. Sempre alerta e pronto para lutar. Isso, porque ele queria ir para a Amizade. Imagina só o Quatro por lá? Ia ser engraçado! Ou não!! Ele só não se mudou para a Amizade, porque se sentia muito danificado para aquele ambiente onde as pessoas se sentiam tão bem, eram felizes e perfeitas o tempo todo! A gente entende o porque dessa felicidade toda, depois...

O cenário da Audácia é daqueles de tirar o fôlego! Essa é uma das minhas facções favoritas. E embora as pessoas tenham me assustado um pouco, passei a amar o lugar e as pessoas que habitam nele. Já me sinto de casa! rsrs.

Além do livro ser fantástico, os personagens são maravilhosos!! Com ressalva para o Eric, o Max e a Janine. Se eu não conhecesse o Max até acharia ele legal demais! 


 " Não existem salas seguras, assim como não existem verdades seguras ou segredos que possam ser
contados com segurança."

Mas tirando o trio da maldade, eu amei os outros! O fofo do Amah, a Tori Tori sua lindaaaaaa eu amo você!! <3 amo essa personagem! Para mim uma das melhores!!! Ainda tem o Zac, de quem virei de fã de primeira, e a Shauna, que pelo menos nesse livro me encantou. Mas me enganou também. Em alguns momentos, achei que podia rolar algo entre ela e o Tobias. O que rapidamente se revelou coisa da minha cabeça.

Para encerrar, esse livro é perfeito! Para mim o melhor da trilogia inteira!! Os personagens são muito marcantes, o Quatro se tornou meu novo amor, e o mundo criado pela Veronica me agarrou pela mão e não quis me soltar! A autora cria temas que só serão resolvidos nos próximos livros, como a divergência do Quatro. Que em Convergente, deu muito pano para manga... Mas como esse assunto é para outra hora, me abstenho dizendo apenas que isso deu um up sensacional no livro! 


" Muitas coisas fazem com que eu me
sinta nervoso, ansioso, desconfortável... mas, quando sou confrontado com elas, consigo agir, nunca fico paralisado. Contudo, se eu não tomar cuidado, meus quatro medos são capazes de me paralisar. Essa é a única diferença."

Super recomendo! E deixo aqui a minha dica de ouro oh a pessoa se achando! kkk leiam Quatro antes da trilogia Divergente! É uma ótima, e perfeita, introdução! Depois de Quatro, nem os Divergentes serão o mesmos!! 


" Só sei de uma coisa: por me ajudar a me esquecer do quão horrível é o mundo, prefiro ela ao álcool."


Divergente

Autor(a): Veronica Roth
Páginas: 504
Classificação: 5\5
Sinopse: Divergente - Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


"Nós acreditamos nos atos simples de bravura, na coragem que leva uma pessoa a se levantar em defesa de outra"

Hey amores e amoras! Após assistir a adaptação, eu não esperava que pudesse me surpreender tanto com  a história. Posso dizer que bastante coisa foi modificada, e outras melhoradas. Em comparação, acho que o que faltou em um, melhorou no outro. Eles se completam. Embora, é claro, o livro seja mais detalhado, e contenha alguns personagens que no filme não existem, ainda.

O livro se passa em uma Chicago futurística, onde a civilização é divida em cinco facções. A Abnegação, Amizade, Audácia, Erudição e a Franqueza. Cada uma dessas facções tem sua responsabilidade perante a sociedade em um todo, e também o seu modo de pensar. Além dos Sem - Facção, aqueles que não conseguiram passar na iniciação das facções que escolheram. E que acabam vivendo por si mesmos. São abandonados pela sociedade.


" Com o passar do tempo, o vazio desaparecerá, como ocorre
quando um órgão é removido e os fluidos corporais preenchem o espaço que deixou. Os humanos não conseguem tolerar o vazio por muito tempo."

As pessoas da Erudição, prezam a inteligência. A Abnegação, o altruísmo. A Franqueza, a honestidade. A Amizade, a bondade e a Audácia, a coragem. Mas o que se deve fazer, quando em mundo a onde todos tem o seu lugar, você não se encaixa em lugar nenhum?

Esse é o dilema da Tris. Uma menina nascida e criada sob os rígidos ensinamentos da Abnegação. Que não se sente parte do ambiente em que vive. Tris sempre teve uma queda pelo estilo livre da audácia, mas ela não sabia o que queria para si. E a vida na Abnegação começava a sufocar. 


" O abismo serve para nos lembrar que há um limite tênue entre a coragem e a estupidez!"

Para mim a Abnegação é a facção mais complicada de se viver. Eles não podem se olhar no espelho - só quando cortam o cabelo, por alguns minutos - tem que esquecer de si mesmo em prol dos outros, e vivem com pouco. Não comem carne, nem nada temperado. É uma comida simples e sem graça. Os filhos não podem perguntar sobre os assuntos dos pais, e tem de se manter sempre quietos, reservados e educados. Sem nunca se esquecer dos outros, independente se a ação é ou não recíproca. 

Não conseguiria viver no estilo da Abnegação. Se bem que eu também não faço muito o estilo arriscado da Audácia, honesto demais da Franqueza ou ambicioso demais da Erudição. Eu com certeza iria para a Amizade. É a mais bondosa e harmônica. Tudo é mais bonito por lá. Na verdade esse é um ponto forte do livro. A autora detalha de forma tão perfeita os cenários do livro, que ao conhecer a Amizade, me senti em outro mundo. É lindo! Mas isso é assunto para outra resenha... rsrs.

Na cerimônia de escolha da Tris, algo surpreendente acontece. A escolha de seu irmão Caleb - personagem mais detestável da história - é completamente o contrário do que ela e sua família esperavam. Embora se sentindo traída, Tris resolve escolher o que é melhor para ela. E em um impulso, ela escolhe a suposta liberdade a tanto tempo sonhada.


" A paz é contida; isso aqui é liberdade."

Como o livro já começa meio tenso, com o eterno medo de não se estar agindo como se deve na Abnegação, eu achei que esse seria o ritmo do livro todo. Tamanha foi minha surpresa, ao perceber que o livro ia ficando cada vez mais tenso, mais rápido até eu quase não conseguir mais respirar! Sim, foi difícil manter o fôlego.

Depois da cerimônia de escolha, que já acontece nas primeiras páginas do livro, começa a iniciação na Audácia. Onde Tris, conhece seu instrutor Quatro. E onde acaba descobrindo sua Divergência. O que significa a morte, caso ela seja descoberta.


" O objetivo da iniciação é nos reduzir ao que verdadeiramente somos."

O livro é todo tão rápido, e cheio de ação e treinamento, que na minha cabeça é sempre um borrão. Tenho de me esforçar para lembrar com detalhes, foi tenso! Confesso que no teste final, quando a Tris ia enfim descobrir se seria da Audácia, ou não, eu literalmente passei mal! Comecei a suar, tremer e o coração acelerou de um jeito!! Achei que mesmo que ela passasse, eu não passaria! kk.

A iniciação é parte mais tensa do livro.E eu nunca vi uma autora matar tanta gente, em tão curto espaço de tempo! MEU DEUS VERONICA ROTH!!! Só no início, meu coração deu umas três cambalhotas com as coisas que iam acontecendo e as pessoas que iam ficando para trás. Me surpreendo até hoje quando lembro, porque no filme, eles pegaram bem leve quanto a isso.


" Isso é a morte:
quando o “é” se transforma em “era”."

Esse primeiro livro se passa entre a escolha da Tris e a iniciação dela. E claro, os primeiros sinais de guerra, que começam a surgir. Além dos conflitos com outros iniciandos, Tris ainda tem de lidar com a difamação que a Abnegação vem sofrendo desde sua mudança e  de Caleb, para outras facções. 


" Eu troquei a covardia pela crueldade; troquei a fraqueza pela ferocidade."

Essas difamações, são fruto da tentativa da Erudição de assumir o poder e controlar as outras facções. E uma aliança com a Audácia, poderia significar o fim da paz e do poder de escolha dentro dessa sociedade. Além é claro, da caça aos Divergentes. Já que eles poderiam atrapalhar os planos da Erudição,de controlar as facções, já que eles não podem ser controlados.


" Nós todos passamos a rebaixar as virtudes das outras facções no processo de reforçar a nossa. Não quero fazer isso. Quero ser corajoso e altruísta e esperto e bondoso e honesto."

Bom, os obstáculos colocados no caminho da Tris realmente me fizeram ter o início de um ataque cardíaco a cada três páginas lidas. O livro não para, não há descanso. É bomba atrás de bomba. E é uma pior do que a outra! No fim, eu tive que parar respirar, tomar água e deitar por um tempo, para não desabar no chão quando levantasse... rsrs.

O romance entre Tris e Quatro, é outro ponto que merece destaque. O que são aqueles dois juntos? Gente, era combustão espontânea toda vez que eles se encontravam! Além do relacionamento nada convencional dos dois, eu ri muito com a falta de jeito do Quatro, e a inocência da Tris. 

E os personagens secundários? Gente, essa autora é INCRÍVEL!!! Eu amei cada um deles!! Com algumas exceções, é claro. Zeke e Shauna, quase não aparecem mais ainda são meus amados. Quem roubou a cena nesse livro, e que já virou queridinho foi o Uriah! Meu Deus, que personagem é esse! Tão fofo *-* Uma pena que ele não tenha aparecido no filme! Ainda tem a Lynn e a Marlene - amei as duas, mas nesse amei ainda mais a Marlene - e a Chris, o Al, e o Will. Não consigo lembrar de nenhum dos três sem querer chorar. E a Tori! - A linda da Tori!! Super amo essa personagem! - Ela é uma fofa!

A Chris, vinda da franqueza, é a melhor amiga que se pode querer na situação da Tris. E embora ela tenha dado uns foras bem desnecessários, eu gostei muuito da personagem. O Will é um doce! Amo, amo, amo. E o Al... Bem, o Al foi uma decepção. Porque eu realmente gostei dele. E depois de tudo o que ele fez, ele não poderia ter sido mais covarde! Na verdade, ainda não entendo o que se passava com ele. Talvez fosse uma boa se a autora fizesse um conto explicando o que ele sentia. Eu com certeza leria!

A relação da Tris com o irmão foi algo que me enganou no filme. Achei que eles fossem próximos, mas pelo que li percebo que estava completamente enganada sobre a relação dela com a família. De todos, só consegui gostar da mãe dela. Uma pessoa doce, forte e corajosa. Mais do que o pai e o irmão dela juntos! Outra pessoa que me enojou durante toda a leitura foi o Peter. Ai, que cara mais insuportável gente! Eu quis muito entrar no livro só para fazê-lo tropeçar no precipício viu? E a turminha dele - porque é claro que um covarde não age sozinho - era o pior do livro! Nessas horas eu tinha que respirar e morder a bochecha para não gritar de tanta raiva e frustração! 


" As coisas não funcionam assim. Quando nos livramos de
uma coisa ruim, outra a substitui."

Esses eram os momentos onde eu comparava livro e filme. E ainda não sei se prefiro a um dos dois. No meu caso, acho que o que ficou ruim no livro, arrumaram no filme. E o que ficou ruim no filme, está incrível no livro. No livro temos uma Tris mais forte, mais corajosa, mas que encontra mais empecilhos em si mesma. E que tem que se virar sozinha, sem entender nada sobre sua Divergência. Para mim essa questão ficou bem melhor no filme. 

Mas em resumo, o livro é MA-RA-VI-LHO-SO!! E eu, recomendo a todo mundo!! O livro vale muito a pena ser lido. Tem uma alta tacha de adrenalina e ação. Além de um lindo e terrível mundo distópico. Para mim ficou muito bem equilibrado o romance e a ação. E os personagens são inesquecíveis! Se tornou favorito! E o final, é só o começo... Mas mesmo assim, faz o coração dar uma parada rapidinha antes de decidir continuar a bater para ver o que acontece no próximo livro! rsrs ;)


" Por crueldade do destino, sou obrigada a viajar com pessoas que odeio e deixar pessoas que amo para trás, mortas."

Espero que tenham gostado, e que não deixem de comentar o que acharam! 

Bjokas e até a próxima...

4 comentários:

  1. Nossa! Resenha top. Você está deixando eu convencida de que esse tipo de leitura vale muito a pena investir.
    A riqueza dos detalhes da sua resenha, as frases chaves, fez eu realmente decidir a conhecer novo estilo de leitura.
    Mas ainda não dedice se inicio por ele ou por "aquele". rs

    bjocas
    Paty (leiturasplus.blogspot.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Patrícia!! É tão bom te ver por aqui! TOMARA que você resolva dar uma chance para esse tipo de literatura! É MUITO BOA MESMO!! Que bom que você gostou da resenha, e mais ainda que eu te fiz mudar de ideia sobre distopias!! kkk. Eu aqui mega curiosa e você ainda não decidiu?? kkkkk. Escolhe com calma, nenhum dos dois vai decepcionar! Bjokas e volte sempre flor!! Você será sempre mais do que bem vinda! *-*

      Excluir
  2. Amei os livros e amei ainda mais sua resenha!
    Sucesso sempre!
    Beiijos!
    http://magicidris.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Hey flor! Se é Divergente já é de casa! kkkk. Que bom que você gostou da resenha! Isso é realmente muito importante para mim. O livro já é favorito e queridinho, então imagina a felicidade ao perceber que alguém gostou da resenha? Ainda mais um Divergente? Visitei seu blog e amei!! Obrigada pela sua visita linda! Volte sempre e muito sucesso para você também!! *-*

    ResponderExcluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo