Lá Vem Resenha: Toda Prosa


Autor(a): Adriana Sydor

Editora: Travessa dos Editores 

Páginas: 240


Sinopse: Textos em primeira pessoa que confessam sentimentos, particularidades, sensações, sofrimentos e alegrias. Parece que este é o tempo em que diários e privacidades ficam expostos ao mundo. São previsíveis as postagens das redes sociais.O blog Mil Compassos de Adriana Sydor poderia ser mais um nesse informar. No entanto, há pormenores que o tornam diferente e digno de pular da web para páginas de livro.Crônicas confessionais, que exploram os acontecimentos cotidianos, dão o tom geral do livro. Mas o pulo do gato está em como tudo isso é tratado. Há uma comunhão entre a forma e o conteúdo e isso é que faz pessoas se identificarem tão prontamente com o que acontece com a autora. A empatia do texto se dá pela maneira como os temas são abordados, um fato de sua vida pode ser muito diferente do que acontece na vida do leitor, mas o que corre por dentro, o que move pensamento e sentimento é que comove e cria a empatia.O “toda prosa”, assim escrito em minúsculo, ainda tem outros aspectos particulares, como está citado no prefácio de Fábio Campana: “Lúdica, sempre está a um passo de nova transgressão. Por que uma frase deve começar com letra maiúscula, se a maiúscula parece carregar o peso autoritário que prejudica a fluência gostosa da narrativa? As frases devem ser curtas e sempre na ordem direta? Os advérbios estãoproibidos? Os adjetivos só em doses homeopáticas? Bem, não apresente uma regradefinitiva para Adriana Sydor, ela tratará de transgredi-la.” Há uma brincadeira com alíngua, um uso próprio, que não cansa o leitor, mas o convida para uma dança suaveentre a consciência e a emoção.O livro ainda traz alguns manuscritos da autora com poesias e anotações para escritasfuturas.



"a poesia está tatuada como primeiro sinal: coisa denascença, não de aprendizado."

Todo em crônicas, "Toda Prosa" é um livro todo coração. Os leitores são presenteados com a alma da escritora transbordada em papel. Emoções, dores, amores e tudo que Adriana sente, é escrito com maestria nesse doce, singelo e delicioso livro. Rápido como uma brisa e tão leve quanto, nos faz pensar e olhar a vida, com outros olhos. Olhos do coração, da alma, de poeta...

"dividir o jeito de olhar a vida é enfrentar o medo das próprias ridicularias. enfrentar,  gosto muito. viverei."


Adriana Sydor é dona do blog Mil Compassos. Através desse blog de crônicas, a autora expõe sua alma e dia a dia, de forma delicada, descontraída e principalmente original. Sem se importar com regras de grafia, a autora faz um rebuliço se recusando a utilizar por exemplo, letras maiúsculas em início de frases. Um achado! 

"às vezes me encaixo na frase de Vinícius de Moraes,tenho tudo pra ser feliz, mas acontece que sou triste. em  dias melhores, a alegria me invade. vivo de acordo com a maré, deixo que os ventos soprem e já desisti de agarrar a vida e domá-la. mas me seguro firme em minhas poucas certezas e só navego em mar transparente."

Recebi a missão de resenhar esse livro, e confesso que iniciei receosa.Minha experiência com livros de crônicas, não tinha sido boa como eu gostaria. Imaginei que dessa vez, não fosse ser diferente. Porém, tão grande foi minha surpresa ao constatar, que esse livro, não é apenas, um livro de crônicas. Mas também, um livro de sentimentos. Como um diário, o livro nos suga para a vida, sentimentos, conflitos e sofrimentos de Adriana. Nunca vi nada igual! Logo no início do livro, já estava apaixonada pela escrita da autora.

"às vezes levanto sonhando. tem manhãs que nemacordo. às seis desperto, às sete caio, às oito tenho vontade  de voltar."

Concordo com a autora, que há uma certa desigualdade no fato de colocarmos apenas a primeira letra após um ponto, em maiúscula. O que torna sua escrita totalmente poética, é o fato dela não respeitar essa regra como sua. Motivo pelo qual eu amei ainda mais a sua escrita.

Além da falta de regras, de ter uma escrita livre. Seus pensamentos, sentimentos, medos e previsões voam soltos. Não há como não se sentir um pouquinho na pele da autora, e livre ao mesmo tempo. Com sua escrita leve, cativante, fascinante e envolvente, não dá nem tempo de perceber quando o livro acaba.

"às vezes me demoro numa longa despedida do queamo, porque é o jeito de me manter ao que nãomais é ou está; forma de conexão invertida, sofridae esquizofrênica, de fazer com que o passado sejapresente. talvez seja aí, no limite, que eu amanheçae esse despertar me empurre para um novo tempo,uma nova hora, um novo pensamento, mas que desgraçadamente chegam cheios de ontem."

O formato de escrita é maravilhoso! Mescla entre textos, e pequenas anotações a caneta. O que deixa além de delicioso de ser lido, delicioso de ser visto! Todas as crônicas contidas no livro, são de uma emoção tão grande, que me emocionaram em alguns momentos. E foi bem difícil escolher um só, como favorito.

A autora realmente tem o dom. E com sua escrita poética e emocional, nos leva a uma viagem de introspecção e avaliação própria, da civilização e de, tudo e todos, ao nosso redor. 

Outro ponto favorável do livro, é que a escrita da autora não é cansativa. Ela é rápida, fluí muito bem. E embora o livro seja grande, e contenha apenas crônicas, não dá vontade de largar de jeito nenhum. Com dua sagacidade e pitadas de humor, Adriana Sydor, construiu um livro de crônicas poéticas, para entrar para a história. Até hoje, o melhor livro de crônicas que já li. Tenho muito orgulho de dizer que essa maravilha inteira é obra nacional! 

"todos os dias me despeço. de tudo. o anoitecer é oadeus ao dia, é o aumento da distância da infância,do primeiro amor, dos filhos pequenos. o anoitecer é dizer mais uma vez, reafirmar de aceno, que aquele sorriso foi embora, que o brilho do olhar virou, que há um tempo a menos. o anoitecer é encher o copo do presente com maisuma porção de passado – e como cabe passado em minha vida! meus dias são feitos de 96% de passado, o resto é perspectiva de futuro, esperança de chegada, fé em acontecimentos, viradas de mesa."

Fico por aqui, super indicando a obra, e já anunciando: Se prepare! Você não vai querer largar! ;)

Agradeço também, a oportunidade de tê-lo lido! Conheçam mais sobre a autora:


Adriana Sydor, foi diretora da rádio Educativa do Paraná, prestou consultoria para o Portal Educacional, Positivo Informática e hoje assina a coluna de música da Revista Ideias e escreve no blog Mil Compassos.

Mil beijokas e até breve! ^ ^  

2 comentários:

  1. Oi, Anya!
    Percebe-se que você curtiu muito a leitura.
    Não sei se leria por agora, mas num futuro.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Que bom que ficou claro meu carinho pela leitura Lu! Bom te ver por aqui também viu? Espero que dê uma chance, não vai se arrepender!
    Mil beijokas e volte sempre! :*

    ResponderExcluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo