Parei Para Assistir: O Tempo E O Vento


Direção: Jayme Monjardim
Atores: Tiago Lacerda, Marjorie Estiano, Cléo Pires, Fernanda Montenegro, Martín Rodriguez, Rafael Cardoso, Mayana Moura...
Gênero: Drama
Duração: 2h07min
Sinopse: Rio Grande do Sul, final do século XIX. As família Amaral e Terra-Cambará são inimigas históricas na cidade de Santa Fé. Quando o sobrado dos Terra-Cambará é cercado pelos Amaral, todos os integrantes da família são obrigados a defender o local com as armas que têm à disposição. Esta vigília dura vários dias, o que faz com que logo a comida escasseie. Entre eles está Bibiana (Fernanda Montenegro), matriarca da família que recebe a visita de seu falecido esposo, o capitão Rodrigo (Thiago Lacerda). Juntos eles relembram a história não apenas de seu amor, mas de como nasceu a própria família Terra-Cambará.


Oi, oi amores! Hoje trago a "resenha" de mais um filme ,perfeito, nacional. Já comentei aqui que vale muito apena assistir filmes nacionais, mas confesso que estou meio impressionada com a qualidade de produção dos filmes, e com a atuação perfeita dos nossos atores! Bom, vamos a resenha.

A primeira coisa que vou ressaltar, é a quantidade de atores incríveis que esse filme tem. Eu já tinha parado para pensar em um filme, ou série, ou novela em que eu poderia escolher os atores, e bom, o resultado é o elenco de O Tempo E O Vento, rsrsrsrs. Os atores encarnaram o papel com tamanha profundidade e devoção que é impossível não amar a série e se identificar. O elenco é adorável e confesso que os casais principais são interpretados pelos meus atores favoritos. Sem dúvida alguma, o casal que eu mais gostei foi o primeiro casal que aparece na série, o índio Pedro missioneiro gente, que índio deus grego é esse!!! e a Ana terra, que foi interpretada pela minha lindíssima e tãaaaao adorada Cléo Pires. Adooooooro essa atriz! e amei esse casal.

Tá, vou começar do começo, e parar de ficar aqui elogiando os atores magníficos do filme. A história se passa no final do século dezenove e gira em torno da guerra existente entre os Terra Cambará e os Amaral. Bibiana ( Fernanda Montenegro) relembra a história do surgimento de sua família (Terra) e da cidade de Santa Fé, onde mora, ao lado de seu falecido esposo Rodrigo Cambará ( Tiago Lacerda).

Ela começa relembrando o surgimento da sua família, quando sua bisavó, uma índia, foge da tribo, que foi atacada pelos espanhóis em busca de ouro, grávida. Ela tem o bebê durante a fuga, e é resgatada por padres missionários que cuidam do bebê após a sua morte. O bebê, Pedro Missioneiro, é criado pelos padres até que a aldeia onde eles moravam é atacada por espanhóis e só ele consegue fugir. 

Após algum tempo, ele já crescido, ele é encontrado por Ana Terra ( Cléo Pires) ferido em um lago próximo a casa onde ela morava. Os pais dela cuidam dele e eles acabam se apaixonando. O inevitável acontece em uma cena épica, no lago  e ela acaba engravidando do Pedro, para lavar a honra da família, seu pai o mata.

Só essa primeira parte do filme, foi suficiente para me causar raiva, tristeza, suspiros, e muuuuita indignação! Primeiro porque particularmente achei um desperdício matar um homem tão lindo daqueles! Principalmente hoje que está em falta rsrsrsr. Depois porque não seria tão mais fácil se eles se casassem? Pronto estava tudo resolvido, mas como não fui eu quem escreveu a obra me conformei e continuei a assistir...

Depois dessa história trágica de amor e morte, vem a segunda parte. A mãe da Ana morre, e a casa dela também é invadida pelos espanhóis! Aí agente pensa: " Meu Deus! Ou naquela época  só havia espanhóis no Brasil. Ou o escrito realmente adorava tragédias causadas por espanhóis!" Mas a verdade é que realmente naquela época, quando um lugar ainda não havia sido saqueado, era questão de tempo para ser. Dessa tragédia só ela e seu filho sobrevivem.

Encontrados por um grupo de pessoas desabrigadas indo para a nova cidade que estava sendo construída, eles acabam fazendo parte da construção de Santa Fé. Onde a história começa a ser desenrolada de verdade. O filho de Ana se casa e tem uma filha chamada Bibiana. Entre muitas guerras, lutas e mortes, Bibiana ( Marjorie Estiano) se torna uma linda moça. Muito apegada a sua vó Ana Terra, sente muito a sua falta e vive lembrando dela quando ela morre.

" Parecia que eu ainda podia escutar minha vó Ana Terra me dizendo:
- Dia de vento. Dia dos mortos".

Bibiana era pretendente de Bento Amaral, filho do fundador de Santa Fé, que ao contrário de seu pai, quando recebeu o controle usou o autoritarismo e mão de ferro para comandar a cidade gerando muita revolta e  guerras internas. O capitão Rodrigo ( Tiago Lacerda) chega a cidade vindo de batalhas, como forasteiro. E não é bem recebido por ninguém na cidade, além do padre e de Bibiana. É amor a primeira vista da parte de ambos e embora seus pais não gostem da ideia, eles se casam. Mas, como nem tudo são flores Bento Amaral se torna inimigo mortal de Rodrigo por ele ter tomado Bibiana.

Algum tempo se passa sem acontecer muita coisa, o ódio mútuo entre as famílias rola solto,  mas sem grandes consequências. Até que Rodrigo começa a ficar entediado de sua vida e começa a beber e jogar descontroladamente. Gente, ele vira um canalha com c maiúsculo!!! Começa a trair Bibiana, a jogar e beber, e a não se importar nem com a esposa nem com os filhos. E é em uma dessas que a catástrofe acontece. Sua filhinha Anita, ainda um bebê, acaba morrendo de cólicas enquanto ele jogava no bar com os amigos!!! Pra gente ver que a beleza não é tudo! E como só tinha médico na capital as pessoas acabavam morrendo de coisas bobas. Afinal, hoje em dia é um absurdo deixar um bebê morrer de cólica. Eu adorei esse contraste que foi tão bem ressaltado no filme dos dias atuais e o comecinho aqui no Brasil.

Bom, depois que tudo isso acontece contado pela Bibiana, ele acaba morrendo em uma guerra. Assassinado por um  Amaral, após ter matado o mais velho dos Amaral. E a história continua com a descendência da família Terra Cambará. O único filho de Bibiana e Rodrigo  muito lindo por sinal se casa com a filha macabra  de um novo senhor que chegou na cidade e tomou todas as propriedades dos habitantes da cidade, inclusive da família Terra Cambará, e com esse casamento eles acabam reavendo as propriedades da família. Ele tem um filho com ela, mas acaba sendo assassinado pelos capangas dos Amaral que cercaram a casa deles, após a volta deles da cidade por conta da peste.

A história termina com o neto de Bibiana que já tem um filho vencendo a guerra contra os Amaral e Bibiana morrendo. Ela é levada por Rodrigo.

" Minha vó Ana, dizia que a sina das mulheres da família é chorar, trabalhar e esperar..."

Depois de tantas mortes e tragédias, amores perdidos e pais que não puderam ver o crescimento de seus filhos. O filme ainda consegue ser apaixonante! Eu ameeei. Esse contraste do antes e o agora, as paixões que não deram certo, o amor que atravessa a morte e a história de séculos, contada de forma tão real,  tão normal, é uma experiência inigualável.

Realmente vale muito apena! Assistam, porque o filme é muito booooooom. Se já assistiu comenta! Espero que tenham gostado!
 bjitos e até a próxima.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo