Parei Para Assistir: A Menina Que Roubava Livros

A Menina que Roubava Livros

Direção:Brian Percival
Duração: 2h11min
Elenco: Sophie Nélisse; Geoffrey Rush; Emily Watson;Ben Schnetzer;Nico Liersch.
Classificação: 4\5
Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, uma jovem garota chamada Liesel Meminger (Sophie Nélisse) sobrevive fora de Munique através dos livros que ela rouba. Ajudada por seu pai adotivo (Geoffrey Rush), ela aprende a ler e partilhar livros com seus amigos, incluindo um homem judeu (Ben Schnetzer) que vive na clandestinidade em sua casa. Enquanto não está lendo ou estudando, ela realiza algumas tarefas para a mãe (Emily Watson) e brinca com a amigo Rudy (Nico Liersch).

Trailer:


"A memória é o escriba da alma."

Hey amores e amoras! Esse é um daqueles filmes que além de mostrarem a realidade nua e crua como é, traz também uma linda lição de vida e coragem.

"Cada folha, cada pássaro, contém a palavra da vida."

Estou curiosa para ler o livro a muito tempo, mas assim que surgiu a oportunidade de ver o filme, resolvi conhecer um pouquinho mais da história antes de me aventurar livro a dentro. Adorei o que vi. É bem triste, mas o que se pode esperar quando se fala do período mais negro da nossa história? E ainda assim há a mensagem implícita de que a vida por mais dura que seja, sempre vai valer a pena.

Uma das coisas que mais gostei nesse filme, foi o modo como me fez olhar para a Alemanha no período da guerra. Afinal, quem já parou para pensar que assim como o resto do mundo, eles também sofriam com as atitudes austeras de Hitler? Pois é, o período foi tão doloroso para eles, quanto para o resto do mundo. Sofriam com fome, medo, e ataques. Que direcionados ao país afim de acabar com a guerra, destruíram vidas e famílias.

O filme traz a história da corajosa e adorável Liesel, que após perder os pais e o irmão, vai morar com uma família que a adota como filha. O filme gira em torno dela e de toda sua experiência traumática durante a guerra. A atuação da Sophie foi brilhante. Ela conseguiu passar o sentimento exato para cada cena do filme. Ela conseguiu me conquistar.

" As vezes penso que vejo você nas ruas, mas nunca é você."

O filme está cheio de atores maravilhosos, ressalva para o Geoffrey Rush, que ganhou meu coração interpretando o doce e calmo pai adotivo da Liesel. Ainda tem a mãe dela que é uma figura, por fora uma mulher dura e por vezes chata, mas por dentro um coração bom e uma pessoa forte. O Max, que se tornou um grande amigo, se não o melhor, da Liesel, e que é realmente adorável! Todo o incentivo a leitura que ele dá a ela, é de extrema importância, e o carinho que eles tem um com o outro, é algo de outro mundo. Mas meu favorito no filme inteiro, o que me tirou lágrimas, e o que me fez ter vontade de entrar no filme e acabar com a guerra, foi o Rudy. Eu me apaixonei por esse menino!

Liesel é uma pessoa com uma luz que não dá para explicar. Embora ela tenha passado por muitas coisas ruins na vida, ela consegue passar uma paz e uma calma, que é inacreditável. Ela como qualquer outra criança, brinca, corre, estuda, mas ela tem um  hábito em especial que faz dela alguém memorável. Ela tem amor pelas histórias, palavras, livros. E nisso ela encontra uma chance de recomeço.

 " O que nos diferencia do barro, é uma única palavra."

Com a ajuda do pai, Liesel começa a aprender a ler. E desenvolve um enorme carinho pela prática da leitura, mas nessa época os livros começam a ser queimados. Nessa cena eu chorei muuuuito, pensei que não me recuperaria do que vi.

Então, passa a ser necessário pegar emprestado da intocada biblioteca do prefeito da cidade. Cuja mulher, ao saber do gosto da menina, passa a ajudá-la com a leitura. E o amor pela leitura só cresce, colocando em palavras todo o sofrimento que passaram e toda a dor que sentiram.

O filme é narrado pela morte, que nós não conhecemos, mas que tem fascínio pela existência de Lisiel. Esse é outro ponto curioso da história, ter a narração feita pela morte foi algo bem diferente, mas que me agradou muito. Faz a gente olhar com outros olhos para a até então, tão desagradável e malvada morte.

" A única verdade que eu realmente sei, é que sou assombrado pelos humanos."

Bom, nossa menina vive mil aventuras ao lado de Rudy e Max, que fica escondido no porão da casa dela, por ser judeu e caçado por Hitler. Ele é com certeza alguém especial. E como sofreu! Adoro as cenas quando a Liesel lia para ele, saber que mesmo quando não parece a leitura sempre tem um efeito de cura é sem igual.

" Enquanto mil almas escondiam suas cabeças e tremiam de medo. Um judeu agradecia a Deus pelas estrelas que iluminavam seus olhos."

E Rudy, é um menino incrível que nutre um amor puro e ingênuo por Liesel. Pra mim as melhores cenas trouxeram esses dois e sua amizade inabalável. Ele faz tudo que pode por ela, é um menino doce, que guarda seus segredos e que a acompanha em suas aventuras. E que acima de tudo, foi um grande apoio.

" Sempre poderá me encontrar em suas palavras. 
Eu viverei nelas."

O filme é cheio de cenas e efeitos impressionantes, o cenário é absurdamente desolador e ao mesmo tempo bonito. A trilha sonora é super calma e vai de acordo com os momentos do filme. Mas o que me chamou a atenção mesmo, foram os momentos de patriotismo alemão. O hino deles me dá calafrios só de lembrar! E a cena da queima de livros será algo que eu nunca serei capaz de esquecer. 

"Mas tudo que viu foi a poeira do céu."

A Menina Que Roubava Livros é um filme marcante, cheio de personagens emocionantes, e passagens fortes. Com uma temática pesada trouxe o lado simples da vida, e o brilhantismo do amor, seja por alguém, seja por algo. 

"Se tem uma coisa que aprendi, é que a vida não faz promessa."

É uma história de coragem, fé, amor, e principalmente de sobrevivência. Porque nos momentos mais difíceis, ela encontrou um jeito de continuar. Com atores maravilhosos, uma história surpreendente, e magnífica, super recomendo! 
E a leitura está mais do que confirmada, o lerei em breve!

" As palavras são vida. Escreva."

Espero que tenham gostado, e que não deixem de comentar!

Bjokas e até a próxima...




4 comentários:

  1. Oi, tudo bem?
    Eu também só assisti ao filme, mas achei bem legal. Gostei muito do Max, mais até do que do Rudy. Esse tipo de livro baseado em histórias reais me chama a atenção. Essa semana mesmo publiquei uma resenha do Diário de Anne Frank, que é um livro com a mesma temática:
    http://leitoresforever.blogspot.com.br/2014/11/resenha-do-livro-o-diario-de-anne-frank.html

    Beijos
    leitoresforever.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu também adorei por essa temática. Sou apaixonada pelo tema segunda guerra! Adorei teu blog, parabéns! Bjokas...

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Hey, Lan!
      Realmente o filme é maravilhoso! Recomendo super para todo mundo, mas não sei se teria coragem de ver de novo! haha.
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo