26 março 2014

Resenha: Fragile


Autor (a): M. Leighton
Páginas:  294
Classificação: 5/5
Sinopse: Hardy Bradford é um fenômeno do futebol de 18 anos de idade, que tem a menina, a escola, a cidade e o futuro na palma da sua mão. Sua vida está toda traçada para ele, até com quem ele vai se casar e como ele vai se tornar um jogador de futebol profissional. Não parece ser importante que Hardy teria escolhido uma vida muito diferente se fosse por ele. Mas não é. Pelo menos não até que seu milagre vem.
Da primeira vez que Hardy pôs os olhos em Milagre St. James, ele não sabia quem ela era, mas sabia que ela era algo diferente e que ele nunca iria tirá-la da cabeça. E não a esqueceu. Agora, meses depois, o mundo de Hardy é virado de cabeça para baixo quando Milagre mostra-se em sua classe, rouba seu coração e muda para sempre o curso da sua vida.
Milagre está doente. Muito doente. E Hardy pode estar perdendo a única coisa em sua vida que já importou. Quanto é demais para sacrificar pela pessoa que você ama? Por apenas um pouco mais de tempo? Por apenas mais uma chance? Pode Hardy ser o herói que Milagre necessita? Ou é Hardy quem precisa ser salvo?

Sabe aquele livro que você se apaixona a primeira vista, logo pela capa, e depois a sinopse. E aí você de súbito sente uma necessidade quase cortante de ler o livro? Foi o que eu senti assim que bati os olhos em Fragile. Foi como se eu soubesse que o livro era perfeito para mim! E com essa decisão eu tomei o livro em mãos e viajei...

No começo eu descrevi a paixão súbita que senti. Agora vou descrever como ela aumentou durante a leitura. Eu comecei a ler o livro, e na terceira página já estava adorando e ansiando por mais, isso foi durante as próximas duas horas de leitura que se seguiram. E logo estava eu tentando soltar o livro para fazer as coisas que eu tinha que fazer, e não conseguia! Nem por um minuto eu pensei que isso iria acontecer, mas foi incrível!!! E foi assim até o fim. Eu precisava terminar, mas rezava para não acabar nunca! Adiei o final, reli várias cenas, mas não adiantou! O fim chegou e eu desmoronei...

Esse livro teve um efeito sobre mim incrivelmente sutil e avassalador! Nunca vi uma escrita tão realista, dentro dos padrões humanos, com tanto carinho e amor adicionado, como só nos livros pode ter. Não consegui achar um defeitinho só! Não me cansei de forma alguma e nem tive vontade de fazer nada além de ler o livro! E olha que eu tenho tendência a querer jogar os livros pela janela de vez em quando! Mas brincadeiras a parte, vou dizer o que achei do livro.


"Ela não tinha ideia de como algo tão leve, tão inócuo como esse gesto poderia ter um efeito tão profundo sobre ele, mas fazia. Ela fez. Era inegável."

Hardy, é o garoto " perfeito"! Joga futebol, é popular, " quente como o inferno", namora uma linda e antipática líder de torcida, e é todo aparência. Até que... Vocês já sabem! Ele conhece Milagre. Nome estranho né? Se fosse em outra pessoa até que eu concordaria, mas nela coube perfeitamente! Ele nunca gostou do que é. Ou do que se tornou por culpa do pai... Ele tem um pai autoritário e desprezível! Sua mãe, me desculpem a expressão, é uma mosca morta. Não se defende e nem a seus filhos. E ele tem um irmãozinho que é  por quem faz tudo que faz. Clay.


"- Você realmente é do que os sonhos são feitos, Hardy Bradford."


A paixão de sua vida é outra. E seus planos para o futuro seguindo aquilo que ama, dependem de enganar seu pai, ganhar a bolsa para faculdade através do futebol, e voar livremente por aí, longe de tudo e de todos. Mas a vida tinha outros planos para ele...

O modo como ele conhece Milagre, é o modo mais inusitado, mais lindo e mais " almas gêmeas" que eu já vi na vida! Ele escuta sua voz e... E tudo muda, para sempre! Com uma vida caótica por culpa de sua doença, o que Milagre menos esperava era se apaixonar pelo garoto que joga futebol e namora uma líder de torcida. Mas a paixão é inevitável, ainda mais depois que ele se mostra tão solidário e prestativo com sua situação.

O romance que eles vivem durante a história, é banhado por lindas declarações de amor. E cenas de tirar o fôlego! Cheio de conflitos pessoais e reflexões. Trás uma visão de vida e morte de emocionar. Eles se completam em tudo! E o modo como ambos crescem juntos... 
Fiquei boba com a mudança do Hardy! É quase como ver uma linda flor que só desabrocha a noite, fica ainda mais bonito!


"Ela sorriu e falou com cada pessoa. Era como se ela não pudesse entrar em contato com alguém ou alguma coisa sem transmitir um pouco de sua bondade para eles. Ele nunca conheceu ninguém como ela."

M. Leighton, me pegou pelo pé com essa história. Confesso a vocês, que já faz um tempo que terminei de ler, mas ficava relendo e relendo, pra não acabar. E por isso demorei a resenhar. Seria como admitir o fim. Mas, como eu costumo dizer, rapadura é doce mas não é mole! Então tinha que parar de me lamentar e continuar com a longa lista de livros pela frente...

O que mais me chamou a atenção em Milagre, é que depois de tantos " trancos" que ela levou da vida, tudo o que ela fez foi simplesmente se manter a salvo das relações com as pessoas a sua volta, sem deixar de ser a criatura mais terna que eu já vi! Ela consegue olhar tudo pelo lado bom, mesmo quando para mim, não parecia haver nenhum! 


"Os cantos de sua boca se curvaram em um sorriso sereno. Por alguma razão, a imagem de um anjo surgiu em sua cabeça. Hardy estava certo se algum dia chegasse a ver o sorriso de um anjo, isso é o que seria semelhante."

E no Hardy, com certeza, foi o fato de como ele escondia de si próprio a decepção, tristeza e raiva que ele sentia por tudo que havia lhe acontecido. Era como se ele não quisesse lembrar, e por isso fazia tudo que o pai mandasse na maior boa intenção. Ele sempre fez tudo por proteção a seu irmão e sua mãe, que não tinham como se defender das atitudes abusivas de seu pai. Mas havia uma parte de " Não vou criar confusões, não quero me machucar." E isso fazia dele marionete dos outros... E me partia o coração! Mas isso não era nada que uma pequena Milagre, não pudesse concertar!


"- Estou cansado das pessoas dizendo o que eu sinto e como eu deveria sentir. Eu sei que parece loucura, mas eu sei o que eu sinto. Eu sei que isso é real."

Ele tinha uma espécie de devoção por ela, que me cativou desde o início. E uma das coisas que eu mais adorei, pensando sobre o livro, foi o fato dele falar sempre da sensibilidade que ela tinha. Para com os outros, ou sobre si mesma. O que ele nunca falou, é sobre como ele é sensível. Ao ponto de se apaixonar pela sensibilidade dela, e pela pureza e simplicidade de ser humano que ela é! Isso me tocou profundamente! Ele se julga alguém não tão bom assim. Mas na verdade ele é um garoto incrível! Tá bom, eu me apaixonei um pouquinho sim...

"Ela tinha gosto de açúcar e luz do sol, como se ela pegara o melhor de tudo ao seu redor e fizesse seu."


Milagre também não tem uma história de vida muito " colorida" não. Abandonada pelo pai e pelo namorado, após a descoberta do câncer. Decidiu não deixar ninguém se aproximar demais de seu outro órgão vital afetado pela doença, seu coração, foi muito machucado. E o coitado do Hardy deu duro para consegui-lo! Depois que o romance está bem encaminhado, tirando suspiros nossos a cada letra. Eis que surge o empecilho mais irritante do mundo! O ex- namorado dela volta! E rachaduras se abrem por todos os lados do coração do Hardy, e lógico do meu também!

"Hardy sabia que ele nunca iria encontrar outra pessoa que fizesse arder o seu corpo, seu coração e sua alma, como Milagre fazia."


E os personagens coadjuvantes? Eu já falei sobre eles? Não? Então vou falar com um carinho especial. Primeiro o Nate, o fofo idiota do melhor amigo do Hardy, porque idiota? Imaginem que ele também ficou afim de conhecer Milagre, mas ele não estava muito bem intencionado não. Para total desgosto de Hady, é claro, que logo tratou de mudar a situação fazendo com que seu amigo passasse para seu lado ao invés de lutar contra ele. Depois tem o Clay, o irmãozinho de 14 anos do Hardy. Ele já não é nenhum bebê, mas é colocado de uma forma linda e ingênua, como só os adolescentes podem ser. Super fofo! Tem a Mãe do Hardy, que GRAÇAS A DEUS!!! Não pronunciou uma só palavra na história! E eu agradeço por isso, acho que se ela tivesse dito um "ai" que seja teria pulado no pescoço dela, arrancado ela da história e a jogado janela a fora! É aquele tipo de mãe: " Não vejo, não escuto, não falo". E eu a odiei por isso...

Depois tem mãe guerreira da Milagre, o oposto da de Hardy. Kelly me conquistou com seu jeitinho adorável e sua luta pela filha. Abandonando sua própria vida e sacrificando a vida da filha mais nova, irmã de Milagre, não parou um segundo! E não deixou de lutar pela vida e felicidade da filha um só segundo!!! E por fim, e acho que mais importante, tem a Mila. Irmã de Milagre, amiga e cupido! Deu maior força para a irmã ficar com o cara quente que corria atrás dela. No caso Hardy! Eu a adorei com um carinho especial pela sua força, e loucura de adolescente! Ao contrário de Clay, ela é extrovertida e engraçada. Um pouco a frente de sua idade, mas nada que não dê pra resolver...


Depois que todas essas histórias se encontram e se mistura não há mais volta. Suas vidas são mudadas completamente, e para sempre! O desfecho é de tirar o juízo de qualquer um!!! Que final mais perfeitamente lindo é esse gente! Amei demais!!! E com certeza já passou a ser meu favorito! desbancando os primeiros lugares da lista... Está no topo!!! 


"- Hoje à noite, você tem o seu milagre. O dia em que te vi, sentada com Mila no parque, eu tive o meu."

Indico super! Não vão se arrepender!!! Do mais doído foi o fim. Senti um vazio, uma dorzinha no fundo do peito... Ahhh, vai deixar muitas saudades!!! E com certeza vai ficar no fundo do coração com uma etiqueta brilhante escrito: Cuidado, objeto amado extremamente Fragile...

"Eu só sinto sua falta um pouco agora. Quando estou acordado. Quando eu estou dormindo. Quando eu estou respirando."

Para Ler Ouvindo: Dia a dia, lado a lado - Marcelo Jeneci e Tulipa Ruiz




Espero que tenham gostado e que não deixem de comentar!
Bjokas e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante.