30 março 2016

Parei Para Assistir: Convergente


Diretor: Robert Schwentke

Elenco: Shailene Woodley, Theo James, Ansel Elgort, Miles Teller, Maggie Q, Zoe Kravitz, Jeff Daniels, Bill Skarsgård, Naomi Watts, Octavia Spencer.

Duração: 2h0min


Sinopse: Após a mensagem de Edith Prior ser revelada, Tris (Shailene Woodley), Quatro (Theo James), Caleb (Ansel Elgort), Peter (Miles Teller), Christina (Zoë Kravitz) e Tori (Maggie Q) deixam Chicago para descobrir o que há além da cerca. Ao chegarem lá, eles descobrem a existência de uma nova sociedade.

Trailer:



  



Atenção!!! Nível alto de Spoilers.




Hey meus amores! Esses dias, depois de muito lutar por isso e quase desistir, consegui ir assistir a Convergente. E confesso que ainda estou tentando organizar meus pensamentos para poder escrever esse post. 

Essa não é uma resenha fácil de escrever. Na verdade, acredito que de filmes, essa seja a mais difícil da minha vida. Porque eu não sei como explicar o que aconteceu. O filme está fiel ao livro? Mais do que Insurgente. O filme é ruim? Não de um todo. Você recomenda? Sim, mas antes vocês precisam saber de algumas coisinhas...

No início do filme, tudo caminhava muito bem, eu já estava até começando a relaxar, quando uma morte, de um personagem importante, por quem chorei horrores no livro, acontece. E aí, começam os problemas. A cena não tem emoção nenhuma. É claro que o único objetivo dessa morte, era cumprir com o livro. Sério, foi triste, porque não houve tristeza. E eu fiquei boba com a frieza com a qual essa morte foi tratada. 

Evelyn está completamente surtada. Ela quer colocar um fim nos sonhos de liberdade dos moradores da Chicago futurista e decide fechar os portões. Dentro do muro, os julgamentos da erudição começaram a acontecer. Mas ao contrário do esperado ou não não há julgamento algum. Fica um monte de gente reunida, gritando para cortarem as cabeças. Pedindo por morte. E para a completa satisfação do povo, Evelyn resolve ceder. 

Tris não aguenta ver a situação chegar aonde chegou e então resolve ir com Quatro e sua trupe, Christina, Caleb salvo pelo Quatro em uma cena incrível, Peter porque ele ainda está vivo?! e Tori, para fora do muro. 

Depois disso tudo é uma completa bagunça! Os efeitos ficaram, e muito, a desejar. Principalmente em se tratando da quantia em dinheiro que foi investida nessa parte. Não há trilha sonora, e em alguns momentos cruciais não se escuta som nenhum. Nem mesmo o hard core favoritado do produtor musical. O que deixa muita coisa sem impacto, ou emoção. E nem Tove Lo com sua incrível Scars  conseguiu emocionar no final do filme. Diferentemente de Insurgente, em que tive que conter minhas lágrimas ao som de Haim e M83 com Holes in the Sky.

O cabelo da Tris, pelo menos no filme, cresceu sim, magicamente. A história por trás disso, se deve ao fato do corte da personagem  no livro ser na altura do queixo. Por isso, em Convergente eles quiseram respeitar isso. Só esqueceram que isso deixaria a história inverossímil... 

A trama se desenrola de forma muito parecida com a do livro. Tirando o fato é claro, dos cenários que não tem nada a ver com os descritos no livro. Cada um ao chegar na fortaleza detrás do muro, recebe uma função. Caleb vai para um casulo de vigilância da cidade, onde ele observa os confrontos cada vez mais violentos entre Evelyn e Johana. Chris e Quatro são treinados para resgatarem crianças na margem. Ainda não entendi o que eles estavam querendo com as crianças... E Tris, vai ser estudada. Minuciosamente estudada, por David.

" Para seu povo você é divergente.Para o conselho um problema.Mas para mim, você é um milagre"

Não há uma exploração de dentro do local onde eles estão abrigados. E os treinamentos duram pouco. Quatro logo percebe que há algo errado, e segue com Chris e Nita para margem. Ao descobrir que o resgate feito pela organização na verdade se chama sequestro na nossa realidade, ele resolve avisar Tris. Que, não acredita nele. WTF???! Essa cena me matou de raiva! No livro é o Quatro que fica um chato, no filme foi a Tris. Nesse filme, ela não me convenceu. E o pior, sua decisão tosca, trás graves consequências para o coitado do Quatro, que tem que sozinho, encarar o problema em que se meteram.

"Eu queria só nós dois"

Outra coisa que não consigo acreditar, é a tecnologia deles. ficou um pouco exagerado. Invisibilidade, bolhas de plasma???, e aquele banho da Tris, que sinceramente fez com que eu me perguntasse se estava no filme certo. 

E o que mais me irritou. A Tris pareceu ter voltado a estaca zero. Não sei se todo mundo notou, ou foi só eu, mas ela está toda inocente. Deixou que as coisas saíssem de controle, e foi enganada pelo David?! Sério, essa não é a Tris que eu conheço. Na cena em que ela rouba o veículo voador do David, juro, eu quis chorar! 

O Peter novamente é a parte cômica da situação. Mas nesse filme, ele não me fez sorrir. e quando novamente, é lógico! ele vira a casaca, em busca de poder, eu desejei que ele morresse. Não aguento mais isso! Em todos os filmes ele faz a mesma coisa! Consegue se safar chantageando a Tris e o Quatro, e depois trai todo mundo querendo se dar bem. No final ele sobrevive, fica impune e é isso aí! @#$%! 

"Não é assim nos livros, né?"

E ainda tem os personagens que apareceram, mas não fariam falta. Ou, os que não apareceram. O Uriah e a Johana, aparecem no filme. Mas o Uriah não tem nem fala! E a Johana também não recebe destaque nenhum... Não exite o Amah, treinador do Quatro. E nem o irmão da Tori. O que fez falta na história.

Ok, pontos negativos destacados, agora vamos aos positivos rsrs. O Matthew  e a Nita, não são dois empecilhos. Mas duas soluções. O Matthew recebeu um destaque maior, porém sua atuação foi muito convincente. E o papel de seu personagem, diferente do livro, é voltado para o Quatro. Ele ajuda a Tris no começo, mas a melhor cena dele, é quando ele acaba salvando o Quatro. Amei mesmo o que ele fez! E amei essa mudança também. 

"Você já salvou uma cidade. Me ajude a salvar o mundo"

Não vi a Nita como uma possível pedra no sapato não. Ela foi bem séria o tempo todo, não se insinuou como eu achei que faria, e no fim, foi bem útil. Embora, a personagem tenha tido pouco destaque no filme. O Quatro, como sempre, arrasou nas cenas de ação. Que nesse filme, praticamente, pertencem só a ele. E para a minha mais feliz surpresa, não se tornou o babaca que ele se torna no livro. Continuou firme, inteligente, sério e feroz. Esse com certeza foi o filme do Quatro. Ele carregou o filme todo nas costas. Assim como a Tris, em Insurgente.

A Chris também trabalhou mais nesse do que no anterior. Ela luta, fala e tem participação ativa. Amei vê-la agindo, já que no último ela só apareceu no comecinho. Mas o meu maior orgulho, foi o Caleb. Que depois de quase me fazer desistir de assistir ao filme todo, pelos seus pedidos de de desculpas a cada cinco segundos, resolveu parar de ser frouxo e agir! kk. No final, ele praticamente, salvou todo mundo. Foi lindo!!!

Bom, como vocês puderam perceber, houve sim mudanças. Mas o roteiro segue bem fiel a história original. David é o mesmo maluco do livro. E a forma de manter o experimento em Chicago funcionando ainda é a mesma. A rixa de Danificados e Puros, não é muito destacada. E o Quatro não fica todo dodói quanto a isso graças a Deus!. A Tris não morre nesse filme, o que me foi um alívio. Porém o final do filme, além de assustador qual foi aquela do David aparecer feito assombração?  não deu muita informação do que virá não. 

Estamos no escuro! E como já prometeram um filme totalmente novo, um diretor novo, e um orçamento bem menor o que me assusta, só podemos rezar para que o próximo seja bem melhor que esse. 

Como fã, eu gostei. Não gostei de tudo, como por exemplo, o que fizeram com a Tris. Mas amei o que fizeram com o Quatro, Caleb e Chris. Amei a participação do Matthew  e da Nita também. Mas ainda assim, foi uma decepção. De qualquer forma, não deixo de indicar. Se você é fã da saga, vale sim, a pena ir conferir. 

"Sabe o que é mais engraçado? Você me vigiou por anos e não sabe nada sobre mim."

Deixo vocês com Scars da Tove Lo:



Mas me conta, já viram? Gostaram? O que acharam? 

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

29 março 2016

Lá Vem Resenha: A Pousada Rose Harbor


A Pousada Rose HarborAutor(a): Debbie Macomber

Editora: Novo Conceito

Páginas: 350

Sinopse: A busca por um novo começo pode levar a grandes revelações. Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada. Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se conheceram pessoalmente e Joshua tem alguma esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma habilidade de Joshua há muito perdida prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera.A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.





A busca por um novo começo pode levar a grandes revelações.

Hey meus amores! Três corações partidos, duas escolhas, uma só dor. Esse é um daqueles livros que não te promete nada e chega de mansinho. Uma capa delicada, uma sinopse convincente, e aquela sensação de que vai te encantar de forma sensível e genuína. Pois bem, ele é tudo o que não promete ser, e mais! rs.

A minha hospedagem em A Pousada Rose Harbor, estava marcada para muito tempo atrás. Mas acabei deixando o tempo passar e esqueci essas "férias". Porém, recentemente, após muitas leituras "fortes" eu precisava dessa calmaria. Eis, que resolvi me hospedar na escrita delicada e atraente de Debbie Macomber. Não me arrependi.

O livro é realmente muito delicado, doce e sensível. Mas o início te deixa meio preocupado sobre tudo. Já começa muito bem, mas eu tinha lido muitas resenhas ruins a respeito, - o que me deixou com medo de me frustrar -  e para entrar de verdade na história demora um pouquinho, então fui ficando cada vez menos certa de ter feito uma boa escolha. Mas isso é só no começo. 

Quando eu já tinha me conformado com o fato do livro não ter sido um queridinho, e com a probabilidade de eu não gostar também, o livro pareceu se abrir pra mim. Acredito eu, que isso tenha muito a ver com a baixa de expectativas que eu sofri após as resenhas negativas. No fim das contas, elas me ajudaram rs. 

"Eu me apaixonei no momento em que o vi —
confessei."

Bom, o livro conta a história de três pessoas totalmente diferentes, com apenas duas coisas em comum, a cidade em que se encontram e a dor da perda. 

"Talvez fosse medo do desconhecido, medo de mais
perdas que o mantinha aprisionado nessa terra de
ninguém. Sempre pensara que um dia se casaria, mas começava a perceber que um dia significava nunca. Era muito fácil deixar tudo para o futuro."

Jo, é a dona da pousada. Uma viúva que ainda não se recuperou da perda de seu marido, mas que ao se mudar para gerenciar sua pousada em Cedar Cove vê um novo começo para sua vida. 

"Tinha medo de compromisso, medo do que o futuro
poderia lhe reservar. Sentia que perdera todo mundo que amara, e não sabia se deveria arriscar seu coração novamente."

Joshua é um homem amargurado com a adolescência que teve. Também marcado por uma perda, ainda foi expulso de casa por seu padrasto, acusado de algo que não cometeu. 

"Durante anos ele ignorara as próprias emoções, sufocando-as em vez de enfrentá-las. Agora elas pareciam estar olhando de frente para ele. Mas assim mesmo fez o que lhe era mais conveniente. Fingiu não sentir nada."

Abby por sua vez, é uma moça assombrada pela culpa o que torna a sua perda, ainda mais difícil de suportar. Cada um com seus fantasmas, para Joshua e Abby, ter de voltar para casa e encarar a verdade é algo doloroso demais. Já para Jo, ir morar em Cedar Cove, pode significar sua chance de redenção. 

"Obrigada por serem minhas amigas mesmo quando eu mesma não era."

O livro intercala a vida desses três, de modo a nos levar com eles em suas decepções, dores e problemas pendentes. Esse fato adorável do livro, faz com que seja visível e sentido, o que cada um dos personagens passa, pensa e sente. A descrição do lugar é outro ponto a favor da autora. Ela descreve com detalhes suficientes para que possamos imaginar, mas não o suficiente para cansar o leitor.

"O coração se
cura em um ritmo todo particular."

A escrita de Debbie é algo quase poético, calma, relaxada e devagar. Por isso, é preciso um pouquinho de paciência! kk. Mas é muito sensível, doce e fluída também, o que ajuda bastante na desenvoltura da história. Os personagens são muito bem descritos, com exceção de Jo, que não revela muito de si mesma e nem tem grandes mudanças em sua vida, já que ainda virão mais livros com sua história, e ela precisa ter o que contar rs. 

"No meu segundo encontro com Paul percebi o que
me impedira de ir adiante nos outros relacionamentos. Eu estava esperando por Paul."

Abby é muito assombrada. Tem medo de voltar a sua cidade e de que todos a julguem, a odeiem. Sua história foi a que mais me comoveu. Realmente o que ela passa é forte. E atinge não somente a ela, mas também sua família e a família de sua melhor amiga. Sua volta para o casamento de seu irmão, não só lhe traz uma nova chance para si mesma, mas também para que ela consiga arrumar a bagunça na vida de sua família e amigos, da qual ela fugiu deixando para trás...

"A vida que eu conhecia acabou no tempo de uma
batida de coração. O futuro com o qual eu sonhava foi roubado de mim."

Joshua é um homem cansado. Cansado de sofrer, de ser rejeitado, cansado de sentir saudades e de ser sozinho. Desde que fora embora de Cedar Cove não dá certo com ninguém, vive solitário, carrega seus fantasmas consigo e a dor da rejeição o impede de viver. Seu único motivo para continuar é sua carreira de sucesso no trabalho. Mas ao voltar para sua cidade natal, ele percebe que nem tudo é o que parece ser, e quem sabe ainda haja uma chance de ele ser feliz.

"Eu passei tanto tempo sozinho que tenho
dificuldade para admitir que preciso de alguém. Mas
quando você partiu, percebi que precisava de você."

Embora tudo se passe na pousada de Jo, temos muito pouco dela. Após perder seu marido, ela ainda sonha com ele, e sente sua falta todos os dias. Ela não tem mais nenhuma expectativa de encontrar o amor, mas quer seguir em frente, como Paul gostaria que fizesse. E sua luta determinada pela não desistência, é de partir o coração e emocionar ao mesmo tempo. 

"Então conheci Paul, que virou meu mundo do avesso. Mesmo se eu soubesse, desde o primeiro dia, que ficaríamos juntos por pouco tempo, não mudaria nada. Nadinha. Eu aprendi o que é amar por completo. Ainda que perdê-lo tenha sido a experiência mais dolorosa de minha vida, eu não trocaria por nada o que tivemos."

Uma das coisas que mais gostei na história, é como a autora conseguiu encaixar algumas pitadas de espiritualidade no livro. Paul, marido de Jo, sempre lhe manda sinais através de sonhos, animais e até pessoas. Ele olha por ela, o tempo todo. O que conforta não só a ela, como ao leitor também. Isso também acontece com Abby. No final do livro, uma linda surpresa a aguarda. Chorei muito nessa cena... 

"O que demorou anos para perceber foi que
perdera muito mais que sua melhor amiga naquela noite. Junto a todo o resto, Abby perdera sua alma."

Bom, o livro é lindo. Embora pareça banhado a sentimentalismo, é na verdade um abraço quentinho amo o Olaf! em um dia frio rsrs. Uma brisa no verão. Dá aquela sensação de frescor e liberdade. Uma paz... kkk. Bem, foi assim que me senti ao terminar. Cheia de calma e satisfeitíssima  com o final da história. Foi exatamente o que eu esperava, me deu energias para ler mais livros "pesados".

"Alegria tornara-se um bem raro
para alguém que não merecia contentamento."

Recomendo muito! Leve, doce, sensível e delicado, vai fazer você se encantar e não querer largar! É bom para ler com uma xícara de chá, café, cappuccino, ou qualquer outra coisa quente e biscoitos! Acredite você vai sentir fome, já que a Jo está toda hora testando nossa resistência quanto a suas receitas de dar água na boca. E ao final do livro, a autora ainda ensina a fazer as peças de tricô que a Jo faz. Muito amorzinho! 

"Refletindo agora, e mesmo sabendo que eu o perderia junto com meu coração, fico feliz por ter lhe dito sim naquela tarde."

Espero que tenham gostado, que leiam e que me digam o que acharam! Já leram? Gostaram? 

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

Trailer Versão Estendida de "Como Eu Era Antes de Você" é Divulgado!


Hey meus amores e minhas amoras! Olha que surpresa mais maravilhosa que a Warner Bros preparou para a gente! 

Foi divulgado, o trailer em versão estendida da adaptação de Como Eu Era Antes e Você, o aclamado best seller de Jojo Moyes. Bom, chorem de novo. O choro é livre! 

Confiram:




O filme tem estreia prevista para 16 de junho em solo nacional.

E aí amores, o que acharam? Como não chorar? 

Mil beijokas e até breve! ^ ^

24 março 2016

Lá Vem Resenha: His Eyes


His Eyes
Autor(a): Reneé Carter

Páginas: 196

Editora: Outskirts Press 
Sinopse: Qual a maneira mais provável de encontrar o amor? De babá. Ou, ao menos que seja Amy Turner. Amy está a ponto de se formar no colégio quando encontra um anúncio para cuidar de crianças durante o verão. Não tinha ideia de onde estava metendo-se. Seu novo trabalho era cuidar de Tristan Edmund, um garoto sexy e rico de sua idade... e que recentemente ficou cego. Tristan não está interessado em aceitar sua ajuda. Isso é o que ele pensa. Desde que perdeu seu pai e ficou cego em um concurso de salto a cavalos, Tristan passa os dias na escuridão, negando-se a aceitar sua deficiência. Para seu desgosto, Amy entra em sua vida e o arrasta para a luz. Mas quando os dois começam a sentir algo um pelo outro, a linda ex-namorada de Tristan aparece. Será muita tentação, ou Tristan será capaz de escolher a única garota que realmente o vê?


Hey meus leitores favoritos! Esse foi mais um dos livros que li na maratona lá no início do ano. Ok, eu sei, estou muuuuuito atrasada com as resenhas do blog. Mas estou realmente tentando colocá-las em ordem. Por tanto, não me abandonem! kkk. Vem muita coisa boa por aí... 

His Eyes é um daqueles livros em que eu, por ter lido um com o tema parecido e amado, fui com uma carreta de expectativas e dei com minha frágil face no chão kkk. Pois é, embora eu realmente tenha esperado mais do livro - e a culpa é minha por ter alimentado muitas expectativas - o livro é bem gostoso de ler.

Essa é a história de Amy e Tristan. Ele, um jovem rico e cheio de tudo. Inclusive mulheres. Porém, depois de sofrer um acidente, em uma prova de hipismo com seu cavalo, fica cego. E tudo que ele conhecia e achava que tinha, é abalado. Ela, uma moça simples, vinda de uma família bem diferente, com uma mãe hippie e um irmão que foi embora, para quem a mãe reservou um dia no ano em que ela faz um jantar para ele, esperando que ele venha, mesmo que ele nunca apareça, está apenas tentando cursar a faculdade. 

Amy Turner é uma moça bastante doce e inteligente. Sempre teve uma vida simples, porém, recebeu muito amor de seus pais e tem uma melhor amiga divertida, com quem pode contar sempre. O grande problema da vida da menina, é que ela não quer fazer faculdade pública, porque sabe que a particular tem exatamente o curso que ela quer e é mil vezes melhor que sua atual opção. O problema? Cadê o dinheiro para pagar pelas despesas da faculdade? Amy precisa de um emprego. 

Tristan não sabe o que é precisar de dinheiro. Muito bem nascido, sempre teve tudo a sua mão. Um típico mimado, riquinho, não aceita depois de ter experimentado tanto, e ainda ter tanto para ver, perder sua visão. Sem saber como se virar no escuro, ele apela para o que não lhe falta. Dinheiro. Ele precisa de uma babá.

É assim que a história desses dois começa. É claro que na idade de Tristan, e com sua história de cegueira, não seria nada fácil encontrar alguém disposto a se tornar sua babá. Mas por conta de uma confusão no anúncio, Amy é a única pessoa que comparece para fazer a entrevista de emprego. Sendo contratada rapidamente, para desespero dela, quando descobre que será babá de um garoto da sua idade.

Tristan não quer ter uma babá, embora precise. Desde a morte de seu pai, o menino que era, bondoso, doce e atencioso se fora. Dando lugar ao festeiro e desligado Tristan. Com sua cegueira inesperada, ele desiste de tudo. Não quer mais estudar, fica o dia todo em casa, e se tranca em um armário com suas coisas. Mas tudo isso muda quando ele conhece Amy.

"Podia sentir seu calor, o cheiro de canela e sândalo, e nada mais importava. Porque embora Tristan nunca tivesse me visto fisicamente, tinha visto meu verdadeiro eu, como eu tinha visto o seu."

Embora a vida de Amy seja uma completa bagunça, ela é uma pessoa muito otimista, alegre e cheia de sonhos. Com certeza a personagem mais fofa do livro. Além de ser toda "pra cima", tem outra coisa que me fascina nela, ela é bastante obstinada. Sabe o que quer e corre atrás. Ela luta pelo que quer. E mesmo querendo sair do lugar em que está, não foge como seu irmão. Ela encara seus problemas de forma divertida, sarcástica e sempre com um sorriso no rosto.

"Seu sorriso era de incômodo conhecimento. — Às vezes, se você ama alguém, tem que deixá-lo ir."

O início do livro é bem interessante. A história dela, com uma família exótica. Uma mãe que acredita que seu filho que fugiu ainda adolescente, vai voltar para o jantar que ela prepara todo ano especialmente para ele, algum dia. Um pai que não contraria as vontades da mulher, com medo de que ela se machuque com a percepção de que seu filho não voltará. E ela, que apenas tem vontade de crescer e sair disso tudo, sem ter que fugir. 

"Amava minha mãe até morrer, de verdade, mas ela sempre tinha essa habilidade de viver a um passo de distância da realidade. Um passo onde ela podia acreditar no romântico sonho de que Charlie viria para casa e iria falar maravilhas de seu novo mural. Se eu pudesse engarrafar aquela aula de otimismo, teria a vida solucionada."

O livro é narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Amy. Então conhecemos a família de Tristan, através dos olhos dela também. Ele tem uma mãe nem um pouco segura de si, ainda meio perdida com os últimos acontecimentos. A perda do marido e a cegueira do filho, foram mais do que ela podia suportar. E dois irmãozinhos ainda pequenos. O terrível Chris e a doce e pequenina Marly. 

O período de adaptação dela na casa é a melhor parte do livro. Ela força mesmo a barra, não dando espaço para que a rabugice de Tristan interferisse em seu trabalho. Devolver-lhe a vida. E ela tem êxito. Logo Tristan começa a sair com ela, volta a fazer as coisas simples, e volta a andar em seu cavalo. Até aí, vai indo tudo bem, o problema é a chegada inesperada da aproveitadora ex-namorada de Tristan.

"Assenti ausente e desliguei o celular. Por alguma razão sempre pensei que quando o mundo acabasse seria muito mais ruidoso."

Acho que nessa hora a autora se perdeu. O início do livro é bom, mas ela corre com os acontecimentos. Acho que ela teria feito uma história incrível se tivesse adicionado umas cem páginas ao livro. Essa correria tira muito do sentimento das coisas, tornando tudo muito superficial. E aí chega a bruxa e acaba de vez com tudo. 

Lexus é a ex-namorada infernal de Tristan. pensa em uma mulherzinha detestável que não acrescenta nada e ainda te deixa morta de raiva? É ela! kk. E o clima que começava a rolar entre Tristan e Amy, começa a balançar. Porém, como eu disse, é tudo muito superfifcial. O que deixa a leitura um pouco maçante. E a história em si, vai perdendo seu lado cativante...

Lexus retorna apenas para usar Tristan mais uma vez. Ela é modelo, e está de volta querendo reatar seu namoro a muito encerrado, a pedido de seu agente.  As coisas não estão saindo como ela esperava, porque agora Tristan tem Amy. E é aí que as coisas começam a ficar uma bagunça. Ela não facilita para ninguém, tornando a vida de Tristan, Amy e a nossa, um completo caos! kk.

Bom, os personagens secundários também são pouco explorados. O que é uma pena, porque seria incrível se a autora tivesse explorado mais o lado de Charlie, o irmão fugitivo de Amy. Ela é a única que mantém contato com ele, desde que ele fugira. O que o torna seu confidente, bem como ela é a dele. eu gostei muito desse fato de eles não terem se afastado. Mas gostaria de ter tido mais dessa parte também.

Outro personagem que aparece pouco, mas se destaca é a melhor amiga de Amy. Amei o modo como ela apoia a amiga sempre. Além de ser presente e defensora, ainda é mega divertida e animada. Sua participação dá alegria aos momentos monótonos da história. Ela é uma fofa! 

Por fim, o livro é um ótimo passatempo. É bem leve, cheio de menções a músicas e bandas famosas. Os personagens principais, bem como os secundários, são muito superficiais, mas conseguem cativar. A história é leve e doce. Não vá esperando um super livro, mas se quiser dar um tempo das leituras pesadas, essa é uma ótima pedida! 

— Algumas vezes, você está só procurando alguém certo.

Espero que tenham gostado e que me contem o que acharam!

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

23 março 2016

Adaptação de "Quase uma Rockstar" de Matthew Quick Já tem Diertor


Hey livreiros do meu coração! O livro de Matthew Quick, autor do sucesso, O Lado Bom da Vida, Quase uma Rockstar, também será adaptado.

A adaptação já conta com diretor. Miguel Arteta foi escolhido como diretor da adaptação do livro pela Fox Searchlight.

Marty Bowen e Wyck Godfrey, da Temple Hill Entertainment, que produziram A Culpa é das Estrelas e Maze Runner, produzirão com Ellen Goldsmith-Vein e Lee Stollman do Grupo Gotham, mais essa adaptação.

E aí amores, o que acham? Ansiosos?? 

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

18 março 2016

#TAG: Casar, Beijar, Penhasco

Hey meus amados livreiros! Hoje é dia de tag, e recebemos uma indicação mais do que divertida pra hoje! A linda da Maria, mamãe do blog Imagine Maria , nos indicou a Casar, Beijar, Penhasco. Que é uma tag bem simples, em que escolhemos personagens que amamos, que gostamos e que não amamos, nem gostamos tanto assim... rsrs e sorteamos em seis rodadas. A cada rodada, retiramos três nomes,  e escolhemos com quem vamos casar, quem vamos beijar, e quem vai para o penhasco! Muáhahaha! SQN! kkk.

Como em todo bom sorteio, você não sabe quem vai tirar. O que te leva a algumas rodadas adoráveis, mas cruéis, porque você não quer jogar ninguém no penhasco. Outras tranquilas que parecem terem sido feitas pra você! rs. Mas tem umas que eu vou te falar... Como é que se casa com quem não se gosta, no mínimo? Não dá gente!! kkk. 

Fiz a tag com a minha irmã, e foi pura diversão. Claro, às minhas custas. Mas valeu a gozação, porque a tag é demais! Bom, sem mais enrolação, vamos à ela.


1° Rodada - Daniel Grigory, Adam e Caleb

                        

Não vou dizer que foi fácil, porque não foi. Mas, como eu não tinha muita escolha caso com o Daniel, beijo o Adam e jogo o Caleb no penhasco! kk. Ele tem que pagar pelo que me fez passar! kk.

2° Rodada -  Peter Lake, Lucas Landon, Jared.

  sempre_fui_sua

Essa rodada só não foi mais fácil, porque aqui não é permitida a bigamia! kk. Caso com o Peter Lake, beijo o Lucas e jogo com gosto e a pontapés o Jared no penhasco. Já vai tarde! haha.

3° Rodada -  Cinder, Adam Wilde, Edward

 Cinder & Ella     

Gente, juro que botei o Edward só por zoeira mesmo! kk. Claro que ele foi para o penhasco, mas não faz diferença já que ele é vampiro, então, tá tranquilo! kk. Caso com Cinder, essa não foi uma escolha fácil e essa rodada me quebrou, mas o Adam é todo da Mia, então... Ficamos só no beijo mesmo kkkk.

4° Rodada - Evan, Kenji, Tristan

 

Essa foi uma das rodadas mais difíceis. Como é que eu poderia jogar um desses três no penhasco? Não dá gente! Mas com o coração partido, casei com o Evan é claro! kk beijei o Kenji e joguei meu anjinho Tristan no penhasco. Como ele é anjo... kkk. 

5° Rodada - Quatro, Ben (Zombie), Gregory.

  

Essa quase foi facílima! Só não foi, porque eu teria que beijar o Ben... haha. Caso com o Quatro, beijo o Ben e jogo com muito gosto o Gregory no penhasco! Inclusive estou sorrindo enquanto o vejo cair... kkk. #Maldosa #Vingativa 

6° Rodada - Cam, Warner, Jacob.

                               

Essa também foi difícil. Claro que eu caso com o Cam, o complicado foi ter que aceitar beijar o Warner rs, jogo Jacob no penhasco. 

Mas e aí amores, quem vocês salvariam? Quem beijariam e com quem casariam? Obrigada Maria, por sempre lembrar do meu cantinho! Você é uma florzinha!!

Espero que tenham gostado e que me deem sua opinião. Afinal, vocês casam, beijam ou jogam do penhasco? kk.

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

16 março 2016

Projeto Culturação #13: A Sinopse é por Minha Conta!


Hey livreiros! O projeto Culturação voltooooou! E já voltou com a corda toda! A postagem desse mês me deixou muito animada! Espero que vocês gostem tanto quanto eu, porque eu já estava sentindo falta! ;)


Sabe aquele livro que te deixou estupefato, pois nem a capa e nem a sinopse mencionavam as maravilhosas sensações vivenciadas durante a leitura do mesmo? Por que alguns livros fazem isso com a gente? Pra que esconder o ouro? Mas isso definitivamente acabou! Pelo menos hoje. Escolha o livro que te causou essa sensação e reescreva a sinopse dele. Não permita que ninguém mais passe pelo mesmo que você e adie a leitura deste livro, por falta de informações. Mostre para o mundo os motivos que o surpreenderam tanto. Ahhh, sem spoilers, tá?

 A missão é difícil? Sim! Porém, não impossível! haha. Eu escolhi o livro Para Onde Ela Foi da Gayle FormanMas de novo Anya? Não cansa não?! Calma gafanhoto, eu vou explicar! Mas pra deixar claro, não! Canso não! kk.

Escolhi esse livro especificamente, depois de mudar de escolha umas vinte vezes rs, porque além de ser um dos meus favoritos, e ter uma sinopse muito curta, pra dizer o mínimo, a história caiu no descrédito por conta do primeiro. Mas esse livro é justamente a salvação da história, e eu simplesmente não me conformo que as pessoas desistam dele por conta da chatice da Mia! #MomentoDesabafo! kkk. 

E por esse motivo, vai ser esse o livro a ganhar uma nova sinopse à la Anya kk. Parando de enrolação, vamos ao que interessa! rs.


Para Onde Ela Foi
Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos não em milhas, não em continentes, não em anos, e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado. Velhos hábitos nunca mudam... Três anos depois do acidente terrível que mudou completamente a vida desse jovem casal, Mia e Adam ainda são apenas Mia e Adam. E eles não sabem mais quem são. Mia nunca abandonou seu amor pelo violoncelo, e hoje é uma famosa musicista. Sua carreira está em ascensão e seu talento é inegável. Adam é uma típica estrela do rock. Fuma, bebe, vive rodeado de mulheres. Mas isso nunca foi o que ele quis. Foi? Se não está resolvido, ainda não terminou. Um reencontro de 24 horas pode devolver as coisas as seus lugares? Reparar o que foi perdido? Adam vai provar que é possível. Afinal, não foi assim antes? 24 horas para acabar com tudo? Acompanhe a renovação desses dois pelo ponto de vista de Adam. Tudo mudou, mas eles ainda são os mesmos. Só ainda não sabem disso.   Um livro comovente. Com muita força dramática, e um quê de rebeldia. Uma história de amor cheia de revolta, dor e ainda muito amor. Adam e Mia amadureceram muito, mas em seus corações, ainda são aqueles jovens apaixonados, que pertencem um ao outro.
 E aí amores, o que vocês acharam? Acho que consegui passar o que eu queria. Eles MUDARAM! Mudaram mesmo!! Principalmente a Mia. Ela ainda está longe de ser perfeita, mas parece que ganhou um coração! kk. O Adam está melhor do que nunca, embora na realidade, ele esteja pior do que nunca... Se lerem vão entender! kkk. 

Mas o que eu quero dizer é que o livro é muito diferente do outro, e é muito bom! Vocês não vão se arrepender de ter dado uma chance! 

Me contem o que acharam! E espero que tenham gostado!! Estou muito animada com a volta do projeto. Mês que vem tem mais! ^ ^ 

Mil beijokas e até breve! 

Lidos do Mês: Fevereiro


Hey bookaholics do meu coração! Como estão? Espero que todos muito bem, e com um saldo de leituras do mês passado incrivelmente satisfatório! Eu estou bem feliz com meu, e como de costume, estou aqui para falar um pouquinho sobre os livros que li em fevereiro, antes de fazer as resenhas mega atrasadas deles! kkk

Acho que eu já disse isso, umas milhões de vezes kk, mas eu estipulei uma meta de no mínimo quatro livros por mês. E mês passado eu consegui ler mais do que meus habituais quatro livros eeeee dancinha da vitória \o/ kk. Mas sem mais delongas, vamos aos lidos do mês de fevereiro que conseguiram mesmo me impressionar!



* Invisível - Andrea Cremer & David Levithan

Eu sou suspeita para falar, apenas porque sou fã de carteirinha, do autor David Levithan, desde sua obra prima Todo Dia. 

Esse foi mais um de seus livros que mexeu muito comigo. Seja pela delicadeza na sua escrita, ou na doçura do seu personagem. Pela complexidade da história e dos sentimentos do meu já tão amado Stephen, ou pela irrealidade do enredo, que ainda assim conseguiu me presentear com um personagem totalmente real. Cheio de medos, de incertezas e de pouquíssimas realizações, mas cheio de esperanças e conformação. Os outros personagens tem lá seu brilho, destaque para o irmão da Elizabeth, mas quem faz a história ser linda é o Stephen.

* Três Dias Para Sempre - Janda Montenegro

É horrível dizer isso, mas decepção definiu minha relação com esse livro. Infelizmente eu fui enganada pela belíssima capa do livro, mas seu conteúdo não deixou margem para dúvidas. Esse é um daqueles livros, em que você se pergunta o que a autora quis passar. Qual a mensagem? O que tirar do livro? Ambos os personagens principais são imaturos, carentes e infantis. Não há profundidade nos diálogos, ou explanação dos sentimentos. Ficou tudo muito superficial e os personagens não cativam. As cenas quentes, muito explícitas não ajudaram em nada, também não deram em nada... Desnecessário! e o linguajar chulo, me deixou incomodada. Gente, os brasilienses NÃO são assim! kk.

* Twittando o Amor - Teresa Medeiros

Estou perdidamente apaixonada por essa escritora, sua escrita, sua história, seu livro e seus personagens adoráveis, que me tiraram muitas gargalhadas, lágrimas e me deixaram nas nuvens. A história é totalmente doce, divertida e original. Quando chegamos ao ponto de estarmos apaixonados pelo livro, e achando que compreendemos tudo, a autora nos joga uma bomba de tirar o fôlego! O que mais amei, é que ela resolveu tudo perfeitamente e ainda me presenteou com um final que eu não esperava. Lindamente sensacional! Indico MUITO!! kk 

* A Quinta Onda - Rick Yancey

Esse livro era minha meta, depois de ter me apaixonado pela história por conta do filme. Mas confesso que quando comecei a leitura, demorei muito para me acostumar com a escrita de Yancey, e o jeitão sarcástico da Cassie. Os personagens me soaram estranho de primeira, e a escrita estava me cansando. Porém, depois que peguei o ritmo, nada me tirava do livro! A Cassie se tornou minha heroína, e eu não conseguia mais parar de ler. Me apaixonei perdidamente pela história. Essa é uma distopia totalmente inovadora e original, que me surpreendeu e encantou de forma irrevogável...

* O Mar Infinito - Rick Yancey

Esse livro não é único, ele é um milagre! kk. Conseguiu além de se imunizar da maldição do segundo livro, não passar por ela!!! Isso é um milagre!! kk. Mas voltando a história... Os personagens, todos, passaram por um amadurecimento incrível! Fato que fez com que eu me apaixonasse até mesmo pelos que eu considerava mais frios, como a Esp., que nesse livro, ganhou meu coração. A história conseguiu se superar e ficou ainda mais incrível do que já era. Só consigo pensar em "A Quinta Onda" e "O Mar Infinito" desde que terminei a leitura. E já me encontro roendo os dedos, porque já acabaram as unhas, para o lançamento do último kkk. É desnecessário repetir que estou apaixonada pela escrita de Yancey. 

Mas e vocês amores, como foram suas leituras de fevereiro? 

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

Capa de "O Despertar do Lírio" é Divulgada


Hey livreiros! A Editora Novo Século divulgou a capa de O Despertar do Lírio, novo livro de Babi A. Sette, autora de A Promessa da Rosa e Entre o Amor e o Silêncio.

O Despertar do Lírio, é o segundo livro da série Flores da Temporada. O novo e tão aguardado livro da série, chega as livrarias em maio e promete uma linda história de amor de época.

12814224_856344371177830_5654122348587380904_n

Lilian Radcliffe é uma jovem viúva e está feliz com sua vida isenta de emoções. Culpa do luto que não larga? Lilian jurou fidelidade ao marido no leito de sua morte. Paralelo a isso, conhecemos Simon Thorn, homem frio e libertino, dono da maior casa de jogos de Londres. Ele está a um passo de realizar seu plano de vingança contra o culpado pelo título de assassino que recebera anos atrás. O problema é que o canalha está morto e ele terá de usar a sua viúva recatada a fim de atingir seus objetivos. De um lado, ela precisa manter sua honra intacta; de outro, ele quer seduzi-la e desmoralizá-la. No entanto, Lilian nunca se sentiu tão vulnerável e atraída por um homem. E Simon, por sua vez, demonstra reações ao lado dela das quais nunca imaginara ter. A vingança e a honra se abalam quando nasce entre ambos uma paixão incontrolável. Mas, para ficarem juntos, terão de enfrentar segredos e mágoas profundas, um castelo trancado há seis anos, palco de uma morte misteriosa e, sobretudo, encarar os fantasmas do passado que assombram suas consciências.

 Conheçam os personagens principais...

 

Estou fascinada com a capa desse livro. E ansiosa para conhecer a escrita da autora. Mas e vocês, já leram algum livro dela? O que acharam da capa?

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

"A Última Estrela", Último Livro da Saga "A Quinta Onda" Tem Capa Divulgada!!!

Hey bookaholics! Foi divulgada a capa de A Última Estrela, último livro da saga A Quinta Onda, de Rick Yancey. O lançamento está previsto para entre junho e julho.

Confiram:


Nós estamos aqui, e então não estamos mais, e isso era verdade antes de eles chegarem. Os Outros não inventaram a morte; eles somente a aperfeiçoaram. Deram uma face à morte porque sabiam que era a única forma de nos esmagarem. Isso não vai acabar em qualquer continente ou oceano, nenhuma montanha ou planície, selva ou deserto. Vai terminar onde começou, onde está desde o início, no campo de batalha do último pulsar do coração humano.

O livro foi recentemente adaptado, com Chloe Moretz, Nick Robinson e Alex Roe no elenco.

Gente, eu estou surtada aqui com essa capa! E essa sinopse pelo amor das leitoras compulsivas?? Não estou aguentando de ansiedade, e a ressaca ainda não passou completamente... Imagina minha ansiedade?! Mas e vocês, o que acharam? Estão ansiosos? Em breve trago resenha dessa obra prima da distopia para vocês! 

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

Adaptação de "Os 13 Porquês" Começa a Sair do Papel (Atualização!)

Hey amores! Até que enfim, notícias estão sendo reveladas sobre uma das adaptações mais faladas e aguardadas da atualidade. A série baseada no livro homônimo Os 13 Porquês, já tem sua showrunner e produtora executiva. Diana Son foi a escolhida para o papel.



Tom McCarthy  será o diretor dos primeiros dois episódios da série, que contará com treze episódios. A série é uma adaptação do livro de Jay Asher, e conta com a Anonymous Content e Paramount TV no projeto. 

O projeto ganhou também recentemente, sua showrunner  e produtora executiva, Diana Son.

O roteiro é de  Brian Yorkeyis, e a série é uma produção da Netflix em parceria com a atriz e cantora, Selena Gomez. Porém, a atriz ainda não informou se estrelará a série, por conta de sua agenda.

Eu estou realmente feliz por enfim ter notícias que comprovem a adaptação desse livro tão lindo que todos deveriam ler. Acho que a Selena ficaria muito bem no papel de Hannah, e estou muito confiante e ansiosa para ver o que farão nessa adaptação.

E aí amores, o que acharam? Alguém já leu? Querem ler? O que acham de Selena como Hannah? 

Mil beijokas e até breve!