Lá Vem Resenha: Off Sides


Off Sides

Autor(a): Sawyer Bennett

Páginas: 167

Classificação: 3/5

Sinopse: Ryan Burnham é o filho privilegiado de um congressista dos EUA e capitão da equipe de hóquei de sua universidade. Enquanto está à beira de cumprir seus sonhos de jogar na NHL, seus pais o querem em um curso diferente. Dele é esperado aceitar por uma questão de imagem pública de sua família. 
Forçado a abandonar sua carreira musical após o coração partido pela morte de seus pais, Danny Cruz existe no lado oposto das faixas de Ryan. Ela está lutando para fazer o seu próprio caminho, trabalhando em dois empregos, atendendo a tempo parcial faculdade e trabalho voluntário em um abrigo de sem-teto. Ela está em uma missão para construir seu próprio sucesso. 
Com um encontro casual, seus muito diferentes mundos colidem, fazendo cada um deles avaliar se eles estão realmente no caminho certo para a auto-realização e felicidade. Seu relacionamento pode sobreviver? Particularmente quando os outros estão contra eles a cada passo do caminho. Muita coisa pode acontecer em apenas dez dias curtos


" Se apaixonar é um risco."


Hey amores e amoras! Leveza. Essa palavra define a leitura que Off Sides proporciona. Uma leitura leve, doce e sem muitas reviravoltas dramáticas para destruir nossos corações. É perfeito para quando se está naquela fase de ressaca literária, causada por várias leituras seguidas com muitas emoções, ou decepções... rsrs.

Eu sinceramente passei por aquele período negro de leitura, não sabia exatamente o que queria ler, e estava bastante esgotada emocionalmente para ler uma história muito forte. Na verdade estava difícil escolher um e lê-lo realmente. Por fim, escolhi dar uma chance a Off Sides, e não me arrependo.


"Mas,como em todas as coisas, o tempo pode entorpecer a dor."

É bem difícil quando não se abe o que quer ler, e tive que esperar a ressaca passar, por isso, aliado a falta de tempo, demorei mais do que pretendia, já que é uma leitura tão curta e fluída. 

Ao mesmo tempo que a fluidez do livro fez dele uma leitura rápida e gostosa, foi também o motivo pelo qual não dei cinco estrelas. A autora precisava de mais páginas para desenvolver a história e deixá-la na medida certa. A impressão que dá, e de que foi muita coisa para pouca página. Na verdade o começo é tranquilo, e a fase casal feliz, dura tempo demais. 


" Eu posso escolher lamentar a velocidade com que isso está acontecendo mais tarde na minha vida, mas eu não vou me arrepender agora."


Os acontecimentos realmente dramáticos já acontecem nas últimas páginas, nos levando ao velho e tão conhecido WHAT?? Teve um momento em que eu realmente achei que veria uma história sem confusões. Que seria só um casal, que se conheceu eu ficou feliz e junto para sempre. Mas, isso não aconteceu, e eu fiquei feliz por isso. Porque sinceramente, não acho que eu aguentaria uma história assim...

Todos os momentos dramáticos são curtos, e de pouco efeito real na história. Alguns eu diria que ficaram até meio deslocados e sem sentido. Novamente, acho que a autora só precisava de mais páginas para desenvolver tudo e fazer desse livro a história perfeita. Mas infelizmente, não foi dessa vez.

A história que é contada através do ponto de vista de Ryan, começa quando em uma noite com os amigos, a namorada dos amigos, e a ex-namorada insuportável, Angeline, estão passeando e resolvem lanchar na lanchonete da faculdade. 

Depois de beberem, menos o Ryan, seus amigos começam a discutir sobre filosofia. E aí que a mágica acontece. Enquanto Danny tenta anotar os pedidos da mesa, Angeline dá uma de superior, e tenta humilhar a garçonete. Sem sucesso. Diante a resposta rápida e inteligente de Danny, Ryan a olha pela primeira vez. E temos um caso comum de amor à primeira vista.


" Estou escolhendo o amor. Estou escolhendo alguém que me ama incondicionalmente, não importa o quê. É tão simples como isso.

A história se desenvolve rápido. E ainda nas primeiras páginas temos os pombinhos apaixonados tentando inutilmente não se apaixonar de forma muito intensa. Afinal, Ryan é filho de um político e tem uma família que vive de aparências. Se ele aparecesse em sua casa com Danny a tira colo, provavelmente seria internado como louco.  

Por outro lado, Danny já tem sua cota de dor e abandonos na vida, cheia. Após perder os pais de uma forma bem traumática, e por consequência perder sua carreira de violinista na Julliard, ela não pode se dar ao luxo de perder mais nada, se quiser sobreviver e pagar todas as suas contas.


" Eu nunca conheci ninguém que tenta tão duro quanto você faz para conseguir passar por algo doloroso."

Mas é claro, que a inicial atração se transforma em amor, e aí fica inevitável estarem juntos. Mas as coisas não podem ser tão simples podem? Danny não te ninguém além de sua meio amiga/meio mãe Paula, que é uma figura, e um abrigado/pai do abrigo Mãos Amigas, onde ela é voluntária.

A vida de Danny foi bem ruim. Seu pai que era policial, se envolveu no mundo das drogas e acabou morto. Sua mãe teve câncer e deixou a filha sozinha e endividada. Danny se desdobra para conseguir pagar todas as dívidas que tem. E ainda arruma tempo para ser voluntária em um abrigo.Ela é uma menina doce e encantadora. O que mais me impressionou nela, é que depois de tudo que ela passa, ela ainda sabe sorrir.


" Sempre que algo de ruim aconteceu comigo, eu tendia a me lamentar muito, mas depois eu o guardo e tento não olhar para trás."

Toda a felicidade da menina, é para esconder a dor que ainda sente. E isso é bem real mesmo! Ela não consegue chorar na frente de ninguém, e está sempre de bem com a vida. Escondendo sua parte solitária e triste, ela anda sempre sorrindo.

Outra coisa legal na Danny é sua persistência e força. Ela não se abate por nada! Não se deixa ser humilhada por ninguém, não leva desaforo para casa, e nunca é mal educada com ninguém. Ela é tão inteligente, e esperta, que nunca precisa ser grossa ou partir para a violência para colocar as pessoas em seu lugar e bem caladinhas.

Só tem uma coisa que me deixou chateada com ela, que na verdade é mais com a história do que com a personagem. Diria que eu fiquei chateada pela personagem. Ela sabe o que é perder quem se ama, e o que se ama. E após perder seu violino, sua bolsa na Julliard, e tudo que lhe era importante. Ela para de tocar. E bom, ainda no fim do livro, nada fica resolvido sobre sua carreira musical. Ainda sonho que ela conseguiu voltar para Julliard, e se tornou uma ótima e aclamada violinista.


"Ele está indo diretamente tão longe que eu continuo esperando por ele desaparecer no horizonte."

Mas devaneios a parte, a história dos dois se complica quando eles resolvem levar o relacionamento e a sério, e o colocam em público. É claro que a chata da Angeline foi correndo contar para a mãe, megera, de Ryan o que estava acontecendo, e a mãe dele não espera para dar o bote.

E ainda tem o idiota do oponente do Ryan. Gente, pensa em um personagem desprezível?! É esse! Caramba, aparece só para torrar a paciência e cometer maldades. Não tenho paciência com esse tipo de gente não! 

Bom, depois de passar poucas e boas com esses dois personagens assustadores, a pobre Danny se vê em xeque. A mãe de Ryan a chantageia de forma pesada. E tudo que a pobre moça pode fazer é se afastar mais uma vez, da sua última chance de ser feliz.


"Eu devo isso a ele, olhar na cara dele quando eu quebrar seu coração."

O Ryan é aquele tipo de personagem fofo, por quem não tem como não se apaixonar. Mas confesso que em alguns momentos quis bater nele. Logo no início, quando ele decide por ambos, que isso não pode dar certo e depois corre como um cachorrinho atrás de sua amada. Mas fui obrigada pela sua fofura, a reconsiderar... rsrs.

Dos amigos de Ryan o único que amei, mesmo e muito, foi o Mike. Pensa em uma pessoa fofa, doce, gentil, esperta e amiga? É ele! Quando todos ao seu redor complicam tudo, e lamentam como se já fosse caso perdido, ele vem com uma única frase sábia, e arruma tudo. Eu espero que tenha um livro só dele, porque vou ler co, prazer! Me apaixonei por ele, que além de fofo, é um romântico inteligente.

A mãe de Ryan é, me arrisco a dizer, a mãe mais malévola e insuportável de todas as histórias que já li. Ela é realmente muito ruim! E fiquei de coração partido por ele, quando ela descaradamente mostra ao filho que não sente nada por ele. E coloca as aparências sempre acima de tudo. Ela é uma bruxa completa!

Outra pessoa que rouba a cena é a Paula. Louca, gótica, pequenininha e sem papas na língua, ela é uma personagem inesquecível. Adorei ela, em todos os seus momentos de loucura em defesa da Danny! 

E a irmã do Ryan. Pensa em uma garota metida a patricinha, que se veste como patricinha, age como patricinha, mas tem um lindo coração e realmente não sabe o que é amor, ou amar?! É quase assustador ver como ela realmente não entende esse sentimento. 

Ela é muito fofa, e no final ganhou meu coração. Sua curiosidade quase infantil, o modo como escolheu ajudar o irmão ao invés de participar do plano da mãe, e a doçura que ela carrega consigo, me deram esperança de que o livro dela, que é o próximo da série, e eu pretendo ler logo, seja bem lindo! 

Bom, o final é uma gracinha! Como o livro todo. E mesmo não tendo ganho cinco estrelas, ou deixado algumas pontas sem explicação. No meu caso a leitura cumpriu sua meta, e ganhou meu coração. 

Como é uma leitura leve, doce e sem muitas emoções fortes, eu recomendo a todos aqueles, que assim como eu na época da leitura, estão em ressaca literária. Esse livro pode ser um ótimo remédio! Nos faz rir, é doce e traz uma história de amor com muitos personagens apaixonantes... Está indicada!


"Sem mais desculpas. Hoje é o primeiro dia do resto de nossas vidas juntos." 

Espero que tenham gostado, que leiam o livro, e que não deixem de me contar o que acharam! ;)

Nos vemos em breve! Bjokas.

2 comentários:

  1. Esse negócio de ressaca literária é um trem complicado mesmo. É um sentimento bom de ter lido um livro que tenha te deixado tão drenada emocionalmente, mas também te dá a sensação de perda ou então até de alívio (se ele tiver sido muito pesado). Normalmente quando entro em uma, vou atrás de livros parecidos, ou então mudo de gênero completamente.

    Esses livros leves como esse que vc resenhou, eu não tenho muitos, mas tenho uma quantidade boa reservada pra esses momentos tb, pq normalmente eles não acrescentam mto, são mais do mesmo mas as vezes você só quer um romance fofo mesmo pra te realinhar novamente, né?! hahaha

    Bjooooos
    http://lapiselivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Exatamente isso! kkkk. A gente precisa se realinhar, parar de sofrer, e seguir em frente! kkk. Essa leitura foi perfeita para isso! E além do mais é uma fofura *-* então, não foi nenhum esforço! rsrs. Obrigada pela visita e por favor, não suma. Mil beijokas <3

    ResponderExcluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo