Lá Vem Resenha: Vinte Garotos no Verão


 Vinte garotos no verão
Autor (a): Sarah Ockler

Páginas: 288

Editora: Novo Conceito

Classificação: 4/5

Sinopse: Vinte garotos no verão - Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que vocêaprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá).
As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.


" Minha vida toda mudou em apenas três semanas, mas, enquanto as focas começam a uivar contra o Pacífico, tudo a meu redor permanece igual." 


Hey amores e amoras!  Esse é mais um daqueles livros que dividem o antes do agora. Que nos mostra com uma delicadeza e profundidade nostálgica, o quanto devemos aproveitar o que temos no presente sem esperar por um amanhã que pode não vir. E que nos deixa como lição, o fato de que não podemos mudar algo que já aconteceu, proteger alguém, ou passar por cima de nós mesmos. Temos que encarar os fantasmas.


" Antes, todos nós tínhamos sorte.
Depois, só eu e Frankie.
Foi o que todos disseram."

Vinte Garotos no Verão sempre me causou uma sensação de nostalgia. Me dá saudade de algo que não vivi, ou de algo que não me lembro... Mas eu sempre soube que seria uma daquelas leituras que me colocaria para pensar, camuflada por um sol radiante, praia e brisa do mar. 

O livro narra a história de três amigos inseparáveis, que por um desatino do destino o trio se desfez em dupla. Frankie, Ana e Matt. São assim, inseparáveis, desde pequenos. Matt o irmãozão mais velho cuidava das duas como se fossem suas protegidas. Mas no aniversário de quinze anos de Ana, algumas coisas mudaram, e depois mudaram mais ainda. Mas de uma vez por todas.

É uma enorme injustiça o que acontece. Eu não consegui me recuperar da informação desde o início do livro. E isso foi o que mais me emocionou. Ana é uma menina doce, que sonha desde os dez anos com o seu primeiro beijo. Mas esse não poderia sem com qualquer um. Tinha que ser com o Matt. E no seu mágico aniversário de quinze, seu desejo se torna realidade. Botando seu mundo de cabeça para baixo.

Quando Matt confirma seus sentimentos por Ana, não podia eu ter ficado mais feliz. Mas não consegui entender porque o medo de contar a Frank. O que eles estavam fazendo de errado? Não sei. Mas eles esperaram demais... A oportunidade não veio.

Lidar com a perda de alguém amado é sempre difícil catastrófico, terrível, horrível... mas não lidar pode ser pior ainda! Lá está Frank, um minuto tomando sorvete com o irmão e no outro, não sabe nem quem ela é. E Ana, que com a esperança de poder contar a amiga como está feliz por enfim estar vivendo seu romance tão sonhado, se vê perdida, sozinha e com um segredo enorme para carregar.

Ana não era irmã, não era namorada, não era nada. O que ela era? O que ela tinha sido? Isso importava? Questões como essas arrasam o coração da nossa corajosa protagonista. E após prometer a Matt não contar a ninguém, nada sobre eles, e ainda proteger Frank, Ana continua sendo apenas a amiga. Que não tem direito de sofrer por alguém que não era nada dela.

Não consegui entender por que tanto segredo quanto a isso. Mas entendo a Ana por ter mantido isso só pra ela. Quando a Frank enfim descobre, as atitudes da menina me deixaram em choque. Ela é muito egoísta! Frank se torna aquele tipo de amiga da qual não se precisa. Mas ela precisa demais de Ana. Ela começa a fumar, fazer besteiras, tudo para que seus pais percebam que ela está sofrendo. Mas em meio a uma multidão de corações partidos, ela passa despercebida.

Na esperança de melhorar a situação e seguir com a vida, os pais de Frank resolvem levar a filha e Ana para a baía de Zanzibar. Local onde passava todas as féria de verão. Com Matt. E é aí que a aventura realmente começa. E o desafio de conhecer vinte garotos no verão está lançado.


" Em algum lugar no litoral da Califórnia, um vento estranho sopra no oceano, e vinte garotos sem pensar desviam ao mesmo tempo o olhar de suas pranchas de surfe."

O desafio criado por Frank, só serve para ajudar Ana. Mas quanto mais garotos derem bola, melhor para a lista, e para Frank, que se joga descaradamente para qualquer um. Não gostei muito da Frankie. Acho que existiam mil maneiras melhores de desenvolver sua dor. E virar o tipo de pessoa que ela virou, típica patricinha má de seriado televisivo, me deixou com raiva. O que não me deixou ver que lá no fundo, ela estava tentando, do seu jeito, encontrar o caminho de volta.

A Ana é meio boba com a Frank, por sua promessa de protegê-la. E sofre sempre em silêncio. Ninguém, além de Jayne mãe de Matt, sabe o que eles tiveram. E por isso, ela aceita calada que a ignorem. Não concordo com as atitudes da Ana também. Acho que o melhor teria sido esclarecer tudo de uma vez, mas como disse, eu a entendo.

Os pais de Frank são umas graças! Cuidam da Ana como filha deles. Mas a perda também os jogou em um turbilhão, e Jayne está completamente perdida. É por isso que nem dá para culpá-los pelo fato de Frank ter se tornado o que se tornou. O pai da Frankie é mais o estilo calado. Fica quieto o tempo todo, mas quando aparece, é sempre com uma palavra de carinho e sendo agradável. Os amei!


" A coisa mais difícil para mim foi não saber com exatidão o quê eu perdi, o quanto poderia doer e por quanto tempo eu ainda continuaria a pensar nele."

Mas Matt roubou meu coração. Ele era alguém especial, e como sempre durou pouco. Não sei porque, mas os personagens mais fofos sempre se vão primeiro! Ele era doce, apaixonado por literatura, apaixonado pela Ana, por vidros do mar, por sua irmã... Acho que essa palavra o define. Ele era apaixonado! E isso me encantou. 


É minha missão na vida fazer com que se importe com estas palavras, Anna. Com estas pessoas e tudo o que elas dizem e tudo o que são. Toda história é parte de um todo, de uma vida toda, entende? Feliz, triste, trágica, seja o que for, mas uma vida toda. E os livros permitem que você as conheça."


Depois de chegarem a Zanzibar, começa a maratona dos vinte garotos. Confesso que durante as férias das meninas, eu cheguei a sorrir tanto, que chorei! Mas tiveram alguns momentos em que eu só queria entrar e enforcar a Frank. Ela é muito chata quando quer.

E  a Ana de novo, sendo a boba da história. E quando ela se apaixona pelo Sam então... Foi a parte que eu mais detestei. E não foi por causa do Matt não, é que eles não tinham química! Eram um casal tão sem graça. Não tinha todo aquele ar romântico, nem aqueles acontecimentos mágicos quando estavam juntos. Acho que o que eles tiveram, se resume a atração.


" Que Matt me deixe sozinha. Que devolva minhas
memórias para que algo simples como uma canção soando perto de uma fogueira não o traga para perto de mim todas as vezes. Nunca funciona."

É tudo muito rápido. Ana conhece Sam. Ana se apaixona por Sam. E eu fiquei totalmente WHAT??? A autora deveria ter desenvolvido melhor esse ponto. Frank se jogava nas festas e agarrações, enquanto Ana e Sam faziam alguma coisa sem muito sentido ou motivo para rolar uma paixão tão desenfreada como a deles. Não gostei do Sam de jeito nenhum! Ele é meio parado... Não sei bem como explicar, mas não gostei dele!!


" Dizem que os vidros do mar são lágrimas de uma sereia apaixonada. Mas às vezes você tem que ver as coisas apenas como elas são e admirá-las, sem rotulá-las ou explicá-las. As explicações acabam com o mistério, não é?"

O que posso dizer é que essa viagem é reveladora. Segredos caem por terra, amizades são rompidas, e vidas retomadas. A Ana cresce muito diante dos nossos olhos. E como sempre, admiro isso mais do que tudo! Frank, começa a sair de sua casquinha no final, mas dá pra ver que ela é uma boa pessoa. 


" Só quero flutuar, suspensa aqui em minha cápsula do tempo californiana sem o anoitecer de ontem ou a aurora do amanhã no horizonte."

O final do livro é a parte mais doce. E a autora não poderia ter feito melhor! O fim foi realmente a parte mais bonita. Como se nós passássemos pela confusão dos personagens, até chegarmos no ponto final, onde eles se encontram em si mesmos e seguem adiante com a esperança renovada. Foi lindo! E eu chorei muito!!! 


" Eu não o conheço de fato; mesmo assim, em minha vida, você estará para sempre envolvido; em minha história, inextrincavelmente atado."

Esse é com certeza um livro que indico à todos. Doce, cheio de boas lembranças, gargalhadas - acredite vai te fazer sorrir!- e principalmente recomeços. Que nos leva nos altos e baixos dos personagens, como nas ondas do mar do lindo cenário da Baía de Zanzibar... Uma leitura leve, que nos leva a refletir sobre tudo, e sobre nosso lugar no tudo.


" Não se mova, Anna Reiley. Neste instante, tudo é perfeito."


Para Ler Ouvindo: Avicii - The Days


Não existe música que me lembre mais essa história do que essa! Além de linda, super a cara do verão, também me enche de nostalgia. Até a letra se combina com a história do livro! São perfeitas juntas!! ^^


Espero que tenham gostado, e que não deixem de me dizer o que acharam! 

Nos vemos em breve! Bjokas.

5 comentários:

  1. Meu Deus! Sem palavras por esse livro e por essa resenha. Ou posso resumir em simples palavras PERFEITO...

    Arrasou!
    beijos
    Paty (leiturasplus.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  2. Hey Patrícia sua linda! Toda vez que eu acho que minha resenha não ficou tão boa, você vem e comenta. E meu coração se enche de alegria! Amo teus comentários!! *-* Obrigada linda, fico muito feliz que você gostou, e acho que você vai amar a história. Vale a pena dar uma chance!! ;) Bjokas.

    ResponderExcluir
  3. Hey Patrícia sua linda! Toda vez que eu acho que minha resenha não ficou tão boa, você vem e comenta. E meu coração se enche de alegria! Amo teus comentários!! *-* Obrigada linda, fico muito feliz que você gostou, e acho que você vai amar a história. Vale a pena dar uma chance!! ;) Bjokas.

    ResponderExcluir
  4. Nossa, nunca tinha ouvido falar desse livro. Parece ser muito legal, vou encaixar na minha lista de leitura.
    Obrigada Anya, por essa resenha incrível.

    Bjs
    Karol

    Visite o meu blog, ficaria muito grata.

    sonhosdetodagarotinha.blogspot.com.br/



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi meninas! Que surpresa linda!! Eu é que agradeço pela sua visita linda flor! Já estou seguindo, e adorando, seu blog viu?! Tá tudo muito lindo, e amei o post de citações! Com certeza você deve ler esse livro! É lindo, doce e marcante! Você vai amar! Quando ler me conta o que achou!! Bjokas e por favor, volte sempre!! ^ ^

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo