16 outubro 2014

Resenha: Antes Que Eu Vá



Autor(a): Lauren Oliver
Páginas: 368
Classificação: 4/5
Sinopse: Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, o colégio que frequenta — da melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder. ... Em uma noite chuvosa de fevereiro, Sam é morta em um acidente de carro horrível. Mas em vez de se ver em um túnel de luz, ela acorda na sua própria cama, na manhã do mesmo dia. Forçada a viver com os mesmos eventos ela se esforça para alterar o resultado, mas acorda novamente no dia do acidente. O que se segue é a história de uma menina que ao longo dos dias, descobre através de insights desoladores, as conseqüências de cada ação dela. Uma menina que morreu jovem, mas no processo aprende a viver. E que se apaixona um pouco tarde demais.


"Agora eu me deito para dormir,
Oro a Deus para minha alma guardar.
Se eu morrer antes de acordar,
Oro a Deus para minha alma levar."

Hey amores e amoras! Antes Que Eu Vá estava na lista de livros para ler há muito tempo, mas não sei bem porque eu sempre deixava para a próxima. Na verdade teve uma vez que eu tentei ler o livro, mas só consegui chegar até a página 60 por achar o início bem  maçante, e acabei desistindo da leitura.

Mas após ler a resenha da minha amiga Dani, do blog Em Comum (resenha do blog) eu resolvi que estava na hora de ler o livro, e ter coragem de chegar até o final. E posso garantir, valeu suuuuuper a pena!!

"Eis outra coisa a se lembrar: a esperança o mantém vivo. Mesmo quando você está morto, é a única coisa que o mantém vivo. 

Esse é o romance de estreia da autora, e ela nos presenteia com uma agridoce história de erros e acertos, causas e consequências. Não posso dizer que amei a história, ou que me prendi desde o início, porque não foi assim. Mas, a história é surpreendente e cativante, conseguiu me tirar lágrimas.


Costumava pensar que amor era isso: conhecer
alguém tão bem que é como se ele fosse parte de você."

No início do livro acompanhamos o fatídico dia em que Samantha Kingston morre. Sim, e isso não é spoiler, ou o momento chocante do livro não, na verdade esse é só o começo de uma longa e dolorosa história de amor, perdas, amizades, e valores.

"E naquele instante minha vida mudou para sempre. Desde aquele dia nunca mais voltei."

Eu achei bem cansativo - novamente - o início do livro. Talvez pela quantidade de repetições dos dias, e principalmente porque durante algum tempo quase nada muda. E isso estava me matando! O tempo estava passando, escorrendo, e ela ainda não tinha nem percebido o que estava acontecendo. 

Eu gostei dos personagens em geral, só não do "namorado perfeito" da Sam, o Rob. Ele é chato, metido, cretino e idiota! As amigas da Sam, assim como ela, são super populares e embora Lindsay, a mais popular de todas, seja uma pessoa nada agradável, e na verdade mesquinha e egoísta, além de cruel, até dela eu consegui gostar. Elas são todas crianças com medo de algo no fim das contas.

"Às vezes tenho medo do que estou deixando para trás"

Eu não consegui odiar a Sam ou as amigas delas, eu gostei da amizade delas embora não concorde, não aceite e tenha ficado bem zangada em alguns momentos com elas,elas são entre si, boas amigas. Mas a Sam me conquistou! É um personagem que eu aprendi a amar.

E tem o Kent, ele é tudo o que uma pessoa pode querer! Meigo, apaixonado, romântico... A lista de qualidades dele é imensa. Mas infelizmente, ele quase não é notado. E temos pouco dele no livo, mas o suficiente para saber o quão bacana ele é.

Bom, após o acidente que mata Sam Kingston ter acontecido, ela acorda no mesmo dia horas antes do ocorrido. E ela tem o dever de arrumar as coisas se quiser ter a chance de salvar a si mesma. Sam nem sempre foi popular, mas após uma festa de verão tudo muda, e a menina sensível, que apreciava andar a cavalo e dava valor as pequenas coisas, não existe mais.

Durante o desenvolver do livro, vemos uma Sam mesquinha, indiferente e insensível se tornar uma pessoa madura, iluminada e humana. Do meio para o fim do livro, a nossa visão com relação a protagonista muda da água para o vinho. Ela se redescobre e passa a enxergar as coisas com mais clareza, carinho. A relação com a família melhora, a relação com as pessoas muda completamente, não há mais julgamentos, só tentativas de fazer a diferença, e o amor esquecido retorna com um novo significado. 

A história é marcante, emocionante e reflexiva. Eu chorei no final do livro por não acreditar no tamanho de toda a situação que essa menina passa pra perceber tudo o que tinha, e o valor disso tudo. É desolador! 


"Talvez antes de morrer o que você veja sejam seus fantasmas." 

A mensagem foi bem passada, embora eu ache que o final deveria ter contido mais informações, e ter achado tudo um pouco injusto demais. Mas não há como não recomendá-lo! É um ótimo livro para se ler em um fim de tarde, e que com certeza vai fazer você repensar tudo o que faz e o que vem fazendo, e como um ato aparentemente sem importância da sua parte, ou de alguém próximo a você, podem influenciar na sua vida e na de muitas outras pessoas.


Algumas coisas se tornam lindas quando você realmente olha."

Para Ler Ouvindo - 

  Birdy - Without a Word


Paramore - Last Hope


Espero que tenham gostado! E que não deixem de comentar ;)

Bjokas e até a próxima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante.