6

Lá Vem Resenha: His Eyes


His Eyes
Autor(a): Reneé Carter

Páginas: 196

Editora: Outskirts Press 
Sinopse: Qual a maneira mais provável de encontrar o amor? De babá. Ou, ao menos que seja Amy Turner. Amy está a ponto de se formar no colégio quando encontra um anúncio para cuidar de crianças durante o verão. Não tinha ideia de onde estava metendo-se. Seu novo trabalho era cuidar de Tristan Edmund, um garoto sexy e rico de sua idade... e que recentemente ficou cego. Tristan não está interessado em aceitar sua ajuda. Isso é o que ele pensa. Desde que perdeu seu pai e ficou cego em um concurso de salto a cavalos, Tristan passa os dias na escuridão, negando-se a aceitar sua deficiência. Para seu desgosto, Amy entra em sua vida e o arrasta para a luz. Mas quando os dois começam a sentir algo um pelo outro, a linda ex-namorada de Tristan aparece. Será muita tentação, ou Tristan será capaz de escolher a única garota que realmente o vê?


Hey meus leitores favoritos! Esse foi mais um dos livros que li na maratona lá no início do ano. Ok, eu sei, estou muuuuuito atrasada com as resenhas do blog. Mas estou realmente tentando colocá-las em ordem. Por tanto, não me abandonem! kkk. Vem muita coisa boa por aí... 

His Eyes é um daqueles livros em que eu, por ter lido um com o tema parecido e amado, fui com uma carreta de expectativas e dei com minha frágil face no chão kkk. Pois é, embora eu realmente tenha esperado mais do livro - e a culpa é minha por ter alimentado muitas expectativas - o livro é bem gostoso de ler.

Essa é a história de Amy e Tristan. Ele, um jovem rico e cheio de tudo. Inclusive mulheres. Porém, depois de sofrer um acidente, em uma prova de hipismo com seu cavalo, fica cego. E tudo que ele conhecia e achava que tinha, é abalado. Ela, uma moça simples, vinda de uma família bem diferente, com uma mãe hippie e um irmão que foi embora, para quem a mãe reservou um dia no ano em que ela faz um jantar para ele, esperando que ele venha, mesmo que ele nunca apareça, está apenas tentando cursar a faculdade. 

Amy Turner é uma moça bastante doce e inteligente. Sempre teve uma vida simples, porém, recebeu muito amor de seus pais e tem uma melhor amiga divertida, com quem pode contar sempre. O grande problema da vida da menina, é que ela não quer fazer faculdade pública, porque sabe que a particular tem exatamente o curso que ela quer e é mil vezes melhor que sua atual opção. O problema? Cadê o dinheiro para pagar pelas despesas da faculdade? Amy precisa de um emprego. 

Tristan não sabe o que é precisar de dinheiro. Muito bem nascido, sempre teve tudo a sua mão. Um típico mimado, riquinho, não aceita depois de ter experimentado tanto, e ainda ter tanto para ver, perder sua visão. Sem saber como se virar no escuro, ele apela para o que não lhe falta. Dinheiro. Ele precisa de uma babá.

É assim que a história desses dois começa. É claro que na idade de Tristan, e com sua história de cegueira, não seria nada fácil encontrar alguém disposto a se tornar sua babá. Mas por conta de uma confusão no anúncio, Amy é a única pessoa que comparece para fazer a entrevista de emprego. Sendo contratada rapidamente, para desespero dela, quando descobre que será babá de um garoto da sua idade.

Tristan não quer ter uma babá, embora precise. Desde a morte de seu pai, o menino que era, bondoso, doce e atencioso se fora. Dando lugar ao festeiro e desligado Tristan. Com sua cegueira inesperada, ele desiste de tudo. Não quer mais estudar, fica o dia todo em casa, e se tranca em um armário com suas coisas. Mas tudo isso muda quando ele conhece Amy.

"Podia sentir seu calor, o cheiro de canela e sândalo, e nada mais importava. Porque embora Tristan nunca tivesse me visto fisicamente, tinha visto meu verdadeiro eu, como eu tinha visto o seu."

Embora a vida de Amy seja uma completa bagunça, ela é uma pessoa muito otimista, alegre e cheia de sonhos. Com certeza a personagem mais fofa do livro. Além de ser toda "pra cima", tem outra coisa que me fascina nela, ela é bastante obstinada. Sabe o que quer e corre atrás. Ela luta pelo que quer. E mesmo querendo sair do lugar em que está, não foge como seu irmão. Ela encara seus problemas de forma divertida, sarcástica e sempre com um sorriso no rosto.

"Seu sorriso era de incômodo conhecimento. — Às vezes, se você ama alguém, tem que deixá-lo ir."

O início do livro é bem interessante. A história dela, com uma família exótica. Uma mãe que acredita que seu filho que fugiu ainda adolescente, vai voltar para o jantar que ela prepara todo ano especialmente para ele, algum dia. Um pai que não contraria as vontades da mulher, com medo de que ela se machuque com a percepção de que seu filho não voltará. E ela, que apenas tem vontade de crescer e sair disso tudo, sem ter que fugir. 

"Amava minha mãe até morrer, de verdade, mas ela sempre tinha essa habilidade de viver a um passo de distância da realidade. Um passo onde ela podia acreditar no romântico sonho de que Charlie viria para casa e iria falar maravilhas de seu novo mural. Se eu pudesse engarrafar aquela aula de otimismo, teria a vida solucionada."

O livro é narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista de Amy. Então conhecemos a família de Tristan, através dos olhos dela também. Ele tem uma mãe nem um pouco segura de si, ainda meio perdida com os últimos acontecimentos. A perda do marido e a cegueira do filho, foram mais do que ela podia suportar. E dois irmãozinhos ainda pequenos. O terrível Chris e a doce e pequenina Marly. 

O período de adaptação dela na casa é a melhor parte do livro. Ela força mesmo a barra, não dando espaço para que a rabugice de Tristan interferisse em seu trabalho. Devolver-lhe a vida. E ela tem êxito. Logo Tristan começa a sair com ela, volta a fazer as coisas simples, e volta a andar em seu cavalo. Até aí, vai indo tudo bem, o problema é a chegada inesperada da aproveitadora ex-namorada de Tristan.

"Assenti ausente e desliguei o celular. Por alguma razão sempre pensei que quando o mundo acabasse seria muito mais ruidoso."

Acho que nessa hora a autora se perdeu. O início do livro é bom, mas ela corre com os acontecimentos. Acho que ela teria feito uma história incrível se tivesse adicionado umas cem páginas ao livro. Essa correria tira muito do sentimento das coisas, tornando tudo muito superficial. E aí chega a bruxa e acaba de vez com tudo. 

Lexus é a ex-namorada infernal de Tristan. pensa em uma mulherzinha detestável que não acrescenta nada e ainda te deixa morta de raiva? É ela! kk. E o clima que começava a rolar entre Tristan e Amy, começa a balançar. Porém, como eu disse, é tudo muito superfifcial. O que deixa a leitura um pouco maçante. E a história em si, vai perdendo seu lado cativante...

Lexus retorna apenas para usar Tristan mais uma vez. Ela é modelo, e está de volta querendo reatar seu namoro a muito encerrado, a pedido de seu agente.  As coisas não estão saindo como ela esperava, porque agora Tristan tem Amy. E é aí que as coisas começam a ficar uma bagunça. Ela não facilita para ninguém, tornando a vida de Tristan, Amy e a nossa, um completo caos! kk.

Bom, os personagens secundários também são pouco explorados. O que é uma pena, porque seria incrível se a autora tivesse explorado mais o lado de Charlie, o irmão fugitivo de Amy. Ela é a única que mantém contato com ele, desde que ele fugira. O que o torna seu confidente, bem como ela é a dele. eu gostei muito desse fato de eles não terem se afastado. Mas gostaria de ter tido mais dessa parte também.

Outro personagem que aparece pouco, mas se destaca é a melhor amiga de Amy. Amei o modo como ela apoia a amiga sempre. Além de ser presente e defensora, ainda é mega divertida e animada. Sua participação dá alegria aos momentos monótonos da história. Ela é uma fofa! 

Por fim, o livro é um ótimo passatempo. É bem leve, cheio de menções a músicas e bandas famosas. Os personagens principais, bem como os secundários, são muito superficiais, mas conseguem cativar. A história é leve e doce. Não vá esperando um super livro, mas se quiser dar um tempo das leituras pesadas, essa é uma ótima pedida! 

— Algumas vezes, você está só procurando alguém certo.

Espero que tenham gostado e que me contem o que acharam!

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

6 comentários:

  1. Ei Anya. O tema do livro é tentador e parece semelhante com um que vai virar filme né? (pelo menos o tema). Acho que eu iria gostar dele principalmente para ler depois de um dos Nicholas Sparks ou Kristin Hanaah kkkkk Você gosta de livro que aparece mais os personagens secundarios? Eu fico com medo de fugir do foco do livro. Mas, entendi sua posição, talvez se fosse mais explorado o livro sairia de leve e leitura simples, para uma leitura profunda de deixarmos impressionados por dias.
    Linda sua resenha.
    beijos
    Paty leiturasplus.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só parece mesmo. Esse foi o grande problema da autora, ela deixou a estória superficial demais! Não se aprofundou em nada, nem mesmo na condição de Tristan. A impressão que dá, é de que faltou conhecimento sobre o assunto e também páginas, para que ela pudesse desenvolver melhor o livro. É um ótimo momento para lê-lo! kkk. Na verdade, eu prefiro o foco nos principais. Mas amo quando os autores conseguem construir relações entre os principais e secundários. Se não, pra que tê-los na história? kkk. Eu adoraria, e pensava, que seria profunda a leitura, portanto me decepcionei... Mas isso é normal! kkk

      Obrigada pelo carinho! Mil beijokas linda... <3

      Excluir
  2. Oi, Anya!
    Eu até queria ler esse livro, mas alguns aspectos que você pontuou me desanimou um pouco.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio Mês das Mulheres em Dobro
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu! Mais um para o limbo? É melhor eu parar de falar desse jeito nas resenhas! kkkk. Realmente, eu não recomendo ir com expectativas. Vá de mente aberta... E deixe fluir. Mas é uma boa opção para relaxar e passar o tempo...
      Mil beijokas linda!

      Excluir
  3. Anya lindaaaaa ♥
    Que amorzinho de livro, ainda não conhecia esse mas amei sua resenha :)
    Eu estava toda animada lendo a resenha ai cheguei na parte que a autora se perde :( chega me deu um desanimo kkkkkk...
    Parecia que eu estava lendo o livro mesmo :)
    E já fiquei com muita raiva dessa Lexus kkkk
    ótima sexta
    bjo

    Tati C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Tatiiiii sua lindona! O livro é um amorzinho mesmo... Mas a autora se perde feio. Daí o foco vai sendo perdido sabe, antes mesmo de começar a acontecer alguma coisa entre os personagens principais. Por isso que ele não é ótimo. O mais chato, é que tinha potencial para ser. A Lexus é uma BRUXA, HORROROSA e VERRUGUENTA! kkk. Ela é insuportável... Mas fico muito feliz que tenha gostado tanto da resenha!
      Obrigada pelo carinho de sempre! Mil beijokas sua linda!!!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

Tecnologia do Blogger.