Resenha: A Gramática Do Amor



Autor: Rocío Carmona
Páginas: 264
Classificação: 5/5 
Sinopse: Romance de estreia da editora Rocío Carmona, que é também vocalista de uma banda indie de Barcelona, A gramática do amor é um convite à intertextualidade. O livro, que conquistou público e crítica na Espanha, vem ganhando traduções em diversos países ao contar a história de Irene, uma menina que vive sua primeira desilusão amorosa e que encontra em clássicos como García Márquez, Tolstói, Jane Austen e Murakami o entendimento para as suas emoções e a força para escrever a sua própria gramática do amor. Um comovente romance juvenil sobre a descoberta do amor, relacionamentos e o poder da literatura.

" VOCÊ NÃO ESTÁ APAIXONADO POR ELA,
MAS ESTÁ APAIXONADO PELA VIDA ATRAVÉS DELA.
STEWART EMERY" 

Hey amores e amoras! Hoje vamos falar de amor... Não simplesmente de amor quando duas pessoas se conhecem e se apaixonam, mas do que é amor, de até onde ele pode levar uma pessoa, e principalmente sobre a reflexão do que é amor.

 “Geralmente basta sabermos que fomos escolhidas para nos apaixonarmos pela pessoa que nos acha especial. Será que o primeiro amor não é a surpresa de ver que alguém, no meio da multidão, reparou justamente em nós? Talvez por isso seja tão emocionante.”

O que eu mais gostei nesse livro com certeza foi o fato de não se tratar apenas de amor entre um casal, mas entre amigos, entre pessoas. E o rumo que autora dá a essa jornada sobre a auto-descoberta e a descoberta do que amar significa. 

Nós somos presenteados com uma escrita doce e profunda, cheia de reflexões.  A autora consegue nós transportar para dentro de cada história lida por Irene, e nos faz refletir sobre cada história de amor, e o que ela traz de ensinamento. Não é algo que vemos todo dia, o livro não fala só de amor, ele fala sobre a raiz do amor, sobre os conceitos, pré-conceitos, e sobre toda a profundidade, complexidade e ramificações do amor.


" E tu, alma sensível e piedosa, oprimida e afligida por tristezas semelhantes, aprende a
consolar-te de teus sofrimentos! Se o destino ou teus erros não te permitem ter um amigo por perto, que este livro possa suprir sua ausência."

A história começa com a primeira decepção amorosa de Irene. Seu namorado, Liam, não fazia só dela sua princesa, havia mais algumas na lista que ele esqueceu de mencionar. Ao descobrir a traição, Irene, uma menina muito doce e romântica incorrigível, que acabava de passar pela separação dos pais, encontra-se sem chão.

 – Aprendi que quando se deseja alguém e não se é correspondido, o melhor que pode lhe
acontecer é darem com a porta na sua cara. Nada dói mais nesses casos que um pouco de compaixão, porque com a esperança se abre uma ferida que é bem difícil de fechar."

Em um dia ruim ela acaba fugindo da aula do professor Hugues, o professor de gramática. Que pensando que ela se suicidaria, resolve ir atrás dela e a salva. Passado o susto, o professor resolve ajudá-la, oferecendo a ela uma aula particular. A aula de Gramática do Amor.


 “Somos o que resta de nós quando alguém nos parte o coração pela primeira vez.”

A Gramática do Amor, consiste em leituras clássicas, como Tolstói e Jane Austen. E dentro dessas leituras Irene tem que entender a mensagem guardada dentro das histórias de amor, e escrever um trabalho para o professor contando tudo que aprendeu. Confesso que em vários momentos de reflexão da Irene, me peguei pensando: Porque nunca notei isso? A forma como ela passa a enxergar o amor, é contagiosa! Nos abre os olhos pra muita coisa, e nos faz entender coisas que até então, se faziam completo segredo e mistério no campo sentimental.

" Na verdade, acho que o amor romântico não existe. Ele é só uma projeção de nossas
próprias carências na pessoa amada, a quem atribuímos toda sorte de qualidades sem conhecê-la de verdade. Acredito que o amor romântico é apenas uma fantasia de nossa mente. Essa é a minha tese." 

Gostei da forma como a autora conduziu a trama, que além de muito bem construída, nos coloca na cabeça de uma adolescente de 16 anos que está confusa com seus sentimentos em relação a tudo e a todos. Sem notar entramos na mente de Irene, e passamos a viver como ela, pensar como ela e aprender com ela. Ela passa por muita coisa, e isso mantém o leitor bem preso a história. Não conseguia parar de pensar no que viria a seguir, já que  o destino tratou de pregar muitas peças na doce Irene.


" PERDER O AMOR É COMO
MORRER EM VIDA."

Os personagens secundários são preciosidades a parte. Cada um deles, traz consigo uma lição a ser aprendida, e um pouco de cor a história. Em nenhum momento a história fica chata, ou monótona. Só vai melhorando... Com a chegada das novas surpresas trazidas pela entrada dos personagens secundários, nós nunca sabemos realmente o que vai acontecer. 

Outro ponto forte do livro é que mesmo quando as coisas ficam bastante dramáticas, a autora conseguiu encher de delicadeza e leveza, não pesa. O romance é cheio de frescor e suavidade, nunca excedendo em nada, é um romance na medida certa. 

A autora tem uma escrita poética que em alguns momentos do livro, conseguiu me arrancar lágrimas. As reflexões fizeram desse livro, pelo menos para mim, como um manual. Sempre que quero entender um pouco mais sobre amor recorro a ele novamente. Um livro que não dá para esquecer... 

" Estar apaixonado é se expor a um naufrágio constante. Naufragamos com cada fracasso. A questão é sobreviver às tempestades para algum dia podermos chegar ao porto onde alguém estará esperando só por nós."

O professor Hugues, foi um dos meus personagens favoritos. Com uma história de amor digna de livro, me cativou inteiramente! Ele sempre foi atencioso, e não lidou com Irene como se ela fosse uma menininha boba, ele lhe deu a devida atenção. E talvez por sua história trágica, ele reconheça aqueles que necessitam de um apoio no quesito amor. Ele é adorável!!! Além de lindo e romântico, praticamente salvou a Irene. 

Marcelo é um amigo que se faz presente desde o início do livro. Embora sendo tachado como chato no início da história, ele se mostra uma pessoa incrível no decorrer da história. Sempre disposto a ajudar e pronto pra tudo, com certeza é o tipo de amigo que qualquer pessoa deveria ter.

Acho que a única coisa que me irritou no livro, foi o fato da Irene ser muito paciente! Quase boba demais!! Sua companheira de quarto faz o que quer, quando quer e ela nem sequer se defende. Isso me frustrou muuuuito! E me fez parar a leitura algumas vezes para respirar, ao invés de jogar o livro pela janela...  Outro personagem que eu ameiiii, foi o Josh. O bibliotecário da escola. Ele me deixou um pouco chateada com ele em algumas partes do livro, mas logo tratou de recompor sua imagem de menino doce e sensível. Diferente do que pensei de início ele é só mais uma preciosidade na história. O único realmente ruim é o ex-namorado da Irene,o Liam. Um personagem que parece não amadurecer, não crescer, dá vontade de pedir pra ele sair...


Em resumo, a história é única! Cheia de amor em suas mais diferentes formas, nos mostra o mundo através dos olhos de uma pessoa que vive de amor... As vezes parece que não, mas ainda existem pessoas que acreditam em romances dignos dos contos clássicos e dos contos de fadas. E essas pessoas tendem a se machucar muito. Em compensação, elas tem uma visão muito mais bonita, complexa e poética do que é amar.


"– O importante para um navegante do amor é saber em que porto quer desembarcar." 

Doce, fofo, e singular. Uma leitura leve, rápida e cheia de coisas para ensinar. 
Recomendadíssimo! 


 "Em uma hora de amor
há uma vida inteira." HONORÉ DE BALZAC

Para Ler Ouvindo: Ellie Goulding - How Long Will I Love You?


Espero que tenham gostado!

Bjokas e até a próxima...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo