27 agosto 2014

Resenha: Cidades De Papel

Cidades de Papel                                                                                          
Autor: John Green
Páginas: 368
Classificação: 4/5
Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte. Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia. 

" É uma cidade de papel. Quer dizer, olhe só
para ela, Q: olhe para todas aquelas ruas sem saída, aquelas ruas que dão a volta em si mesmas, todas aquelas casas construídas para virem abaixo. Todas aquelas pessoas de papel vivendo suas vidas em casas de papel, queimando o futuro para se manterem aquecidas."

Hey amores e amoras! Esse livro do John, era o que eu mais queria ler depois de A Culpa É Das Estrelas, e sabia que devia esperar algo realmente grande, porque não um, mais TODOS os meus amigos que leram o livro, disseram ser melhor do que A Culpa É Das Estrelas! Bom, se você me perguntar, eu não vou dizer que o achei melhor, mas sim tão bom quanto. Isso já é característica do Green, nos fazer babar, e colocar os livros dele em primeiro lugar da lista, quando os lemos... 

Vocês devem estar se perguntando porque eu não dei 5 estrelas para o livro, já que eu o amei, vamos chegar lá... Bom, o livro começa contando sobre a amizade infantil, e o amor platônico que Quentin ainda pequeno, já nutria por Margo. Amizade que terminou de forma, pelo menos para mim, um tanto inusitada, após uma tragédia a qual os dois presenciaram.


Anos depois, temos acessos a uma Margo e um Quentin crescidos. Margo se tornou popular, uma menina inteligente e linda. Já Quentin tem apenas dois amigos e é considerado nerd. E a amizade com Margo, já era! Mas ele ainda nutre um amor platônico por ela.


" Minha dádiva foi a seguinte: de todas as casas

em todos os condados em toda a Flórida, eu era vizinho de Margo Roth Spiegelman."

Margo é uma personagem memorável! Duvido que algum dia serei capaz de esquecer essa menina que em tantos aspectos me encantou e se faz parecida até demais comigo, e que em tantos outros momentos me fez odiá-la além da conta!  Eu nem sei exatamente o que sinto em relação a ela, acho que ela será um eterno mistério pra mim. Mas ainda assim, sendo tão inconstante e enigmática, ela consegue ser cativante!

" Margo sempre adorou um mistério. E, com tudo o que aconteceu depois, nunca consegui deixar de pensar que ela talvez gostasse tanto de mistérios que acabou por se tornar um."

Mas quando o assunto é Quentin Jacobsen... A situação muda de figura! E aqui declaro meu amor incondicional por esse personagem! Me casaria com ele!!! Ele não é nem de longe perfeito, mas foi isso que me encantou. A magia, a perfeição, a fofura desse personagem está justamente na sua imperfeição. No seu realismo! Isso faz sentido?


A questão é que eu realmente me apaixonei por Quentin! Tudo que ele fez, o quanto ele cresceu, o quanto ele mudou, pra encontrá-la me deixou com o coração na mão... Afinal, ao contrário de Margo que queria uma vida livre das convenções sociais, ele adorava a monotonia da rotina, e a certeza de um futuro comum. E ele abandona tudo, para entender o que fez Margo partir, e chegar até ela.


" A beleza de Margo era uma espécie de invólucro selado de perfeição — intacto e inviolável."

Uma das características que eu considero mais adoráveis na escrita do John Green, são as amizades excêntricas e divertidíssimas que ele inventa! Gente são amigos tão diferentes, especiais e únicos, que as vezes tenho vontade de ligar pra ele e pedir a receita para uma amizade assim! 


Quentin, Radar e Ben, serão um trio inesquecível! Adoro os trios do Green!!! Ben, é uma pessoa adorável! Embora as vezes seja um pouco maluquinho e impulsivo, é alguém com quem dá pra se contar sempre! E ainda rende umas boas, muito boas gargalhadas! Ri muito com esses três, mas o Ben me fez chorar e perder o ar de tanto rir!


Radar é o amigo mais prestativo, paciente e fofo, que eu já vi! Diferente de Ben, não importa a situação, ele sempre está pronto pra ajudar! E eu o adorei por isso!! Todo inteligente, de todos é o mais sério também, uma fofura!


E tem a Lacey, que embora eu pensasse ser uma pessoa esnobe, se mostrou uma amiga atenciosa, preocupada, quase como uma mãe! Virei fã dela!!


Certo dia, melhor certa noite, Margo aparece na janela de Quentin, onde sua amizade acabou, para lhe fazer um convite inesperado! Depois de uma resistência curta de Quentin, eles saem em uma aventura surpreendente  durante a madrugada, e gente que aventura viu! 


"Basicamente — disse ela
—, esta vai ser a melhor noite da sua vida."

Com diálogos super inteligentes, me vi fascinada pela história desses dois! E eles tem cada tirada! falam cada coisa! Eu consegui me envolver de uma forma indescritível... Foi mágico.


Mas eu fiquei me perguntando com John Green faria depois que a madrugada acabasse, e lá veio ele com mais uma surpresinha, esse não era nem o começo! A verdadeira aventura ainda estava por vir.


Após a grande fuga durante a madrugada, Quentin recebe a notícia de que Margo sumiu, de início isso não foi um choque, era a terceira vez que ela fugia. Mas após um tempo, ficou evidente que dessa vez, ela não voltaria.


"Que coisa mais traiçoeira é acreditar
que uma pessoa é mais do que uma pessoa." 

É com o sumiço de Margo que as coisas ficam boas! Margo sempre deixa pistas de para onde foi, para os pais. Mas dessa vez a impressão que se tem, e de que ela as deixou para Quentin, que não mede esforços para encontrá-la!



"O erro fundamental que sempre cometi — e ao qual, sejamos justos, ela sempre me conduziu — era este: Margo não era um milagre. Não era uma aventura. Nem uma coisa sofisticada e preciosa. Ela era uma garota." 

Gente, tudo vira uma bagunça! Agora eu consigo entender porque tanto amor devotado a esse livro por parte dos fãs! A resposta é só uma, ele é perfeito! Que loucura, toda a história por trás, das cidades de papel! E toda a trajetória dessa turma nada convencional. 


" E ela se parece exatamente com Margo Roth Spiegelman,

aquela menina que conheço desde os dois anos de idade — aquela ideia de menina por quem eu me apaixonei."

Quentin, Lacey, Ben e Radar, partem em busca de respostas e pistas para encontrar Margo, mas o mais legal é que durante todo o percurso eles acabam encontrando a si mesmos! Morri de rir do Ben durante a viagem, sensacional! A fuga mal planejada trás consequências hilariantes, ainda rio só de lembrar!


O motivo pelo qual não dei 5 estrelas, embora tenha se tornado um dos meus favoritos, é que eu esperava mais do final do livro, não é que ficou ruim, longe disso. Mas pra mim, faltou algo, talvez eu estivesse esperando que as coisas se resolvessem do um modo, e não foi bem assim... Mas, eu não consigo deixar de gostar nem um milésimo do livro por culpa disso.


" — Você não está preocupada com o… para sempre?

— O para sempre é composto de agoras."

O fim me deixou meio intrigada, não sei dá gancho para uma continuação, embora eu ache que ela não vai acontecer,é claro. Mas já espero ansiosa pelo filme! Enquanto lia ia imaginando o Nat no personagem, e gente! Ficou simplesmente perfeitooooo! Não vejo a hora de ver essa história apaixonante nas telonas!

Um livro recheado de ironia, reflexão, graça e aventura. Características que já se tornaram marca registrada de Green. Pra quem espera um romance mais desenvolto, como em A Culpa É Das Estrelas, repense. O foco do livro,são as aventuras e as reflexões que elas trazem, o romance é algo quase abstrato, nós o sentimos, porque Quentin deixa claro que ama Margo, e demonstra muito bem isso, mas o romance entre os dois não se desenvolve durante a história. Nós não vemos o romance acontecer. Continua sendo só um menino a procura da menina por quem é  apaixonado, e que ele pensou que conhecia... Vale muito apena ler!


Não sei mais quem ela é, ou quem era, mas preciso encontrá-la."

Para Ler Ouvindo: Snap Out Of It - Arctic Monkeys 




Espero que tenham gostado e que comentem! 


Bjokas e até a próxima.






2 comentários:

  1. Oiiii, ja seguindo o seu blog, acabei de comprar este livro, essa semana na submarino, muito ansiosa pra ler, depois ti conto o que achei. Beijos
    www.moradadolivro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi flor! Obrigada por seguir o blog!!! Espero seu comentário sobre o que achou viu? Espero que você goste, eu ameiiiii! Bjokas e obrigada pela visita!!!

    ResponderExcluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante.