Lá Vem Resenha: Broken Soup


Broken Soup


Autor(a): Jenny Valentine

Páginas: 224

Editora: Harper Teen

Classificação: 3/5

Sinopse: Broken Soup - Rowan tem apenas 16 anos e precisa enfrentar uma série de problemas: após a morte de seu irmão, o casamento de seus pais entra em crise. Nisso, ela abraça a missão de cuidar de sua irmã e evitar a todo custo que sua casa fique de pernas para o ar. Em meio a toda essa “meleca de sopa”, um rapaz misterioso surge em sua vida com um negativo de filme... que ele dizia ser dela. Esse é o ponto de partida para uma jornada que promete grandes revelações... 


                                      "Positivo.
                                                   Negativo.
                                        Depende de como você
                                                                           Encara isso..."

Hey amores! Esse livro a muito tempo me intrigava por sua sinopse cheia de mistério e a promessa de algo novo. Me surpreendi de diversas formas durante a leitura. E o mais engraçado, e que as surpresas não tinham muito a ver com o negativo da foto...

Esse é um daqueles livros super despretensiosos, que não são extremamente surpreendentes, ou chocantes. Ao contrário. Sua delicadeza, tanto na escrita quanto nos acontecimentos, são o que mais tocam o leitor. A história é simples, sem muitas reviravoltas dramáticas ou todo aquele drama pesado. Mas as descobertas durante o livro são inimagináveis. E embora seja bem triste, a grande lição do livro é que se pode lidar com a dor. 

O livro conta a história de Rowan. Uma garota de apenas dezesseis anos, que perdeu seu irmão e por consequência, a vida como conhecia, sua mãe, que se fechou para o mundo, o pai que saiu de casa, e seu chão, que se abriu quando ela se viu sozinha e uma irmã pequena de quem ela precisaria cuidar.

Mas é claro que a vida reservaria surpresas para ela. E a dela começa exatamente no dia que um doce estranho, insiste que o negativo de uma foto que ele encontrou no chão, caiu da bolsa dela. Mas ela tem certeza de que não carrega negativo nenhum. E quando ela aceita pela situação embaraçosa que está passando, a vida trata de dar um jeito de se revelar.


"Quem sabe? Às vezes, você abre os olhos e percebe que tem estado passando pela vida com eles fechados. E o que você pensava que era o mundo, era apenas o interior de sua cabeça o tempo todo."

Posso dizer que Rowan é uma menina como poucas. Tão nova e acostumada a estar rodeada pelos amigos, passeando livremente e vivendo sua adolescência, se tornou rapidamente a irmãe perfeita para sua irmanzinha. Ela muda a tudo para cuidar de sua irmã, e logo, a menina brincalhona e divertida, se vê sem amigos e sem toda a liberdade a qual estava acostumada a viver, e se torna a menina que estuda, cuida da irmã, da casa e da mãe, que desistiu de viver.


"Isso é o que Stroma e seu nome têm em comum, ambos foram abandonados gradualmente."

Sua mãe não quer mais viver em mundo sem o filho. E literalmente desistiu de tudo. Passa os dias trancada no quarto, ou parecendo estar fora do ar. E sobra para Rowan, cuidar da casa, da comida, e de dar os remédios para mãe que depressiva está fazendo na verdade fingindo que está... tratamento. Tratamento esse, que não está dando efeito. 


"Você podia ver o mundo inteiro dentro dos olhos dela e tudo se tornar realidade, e então puxá-la para trás com o peso de ser o que é. Assim que acordava, só queria voltar a dormir."

O pai de Rowan não aguenta a tristeza ambientada na casa da família e vai embora. Diferente de muitas outras histórias, ele não abandona as filhas. Mas ao pensar que sua ex esposa, a quem ainda ama muito, está se tratando, e que as coisas estão no seu eixo, ele as visita com frequência, mas não se preocupa tanto. Até porque, Rowan também trata de mentir direitinho para o pai, fazendo-o crer que sua mãe está sempre muito ocupada para recebê-lo.


"Eu não poderia dizer "adeus" para sempre e depois "olá" novamente."

E assim a vida das duas meninas anda. Até o dia em que uma novata, Bee, chega a escola. A menina que demonstra curiosidade quase instantânea por Rowan, a ajuda a revelar a foto e de quebra se tornam amigas. 

Bee é uma menina intrigante e um tanto misteriosa. Mora apenas com o pai e o irmãozinho pequeno, de quem cuida. E logo de cara, pelo menos para mim, fiou claro que ela não era apenas uma menina com problemas para fazer amizades. Com certeza as maiores surpresas do livro, são dela. Sinceramente não esperava de jeito nenhum, o que ela tinha para contar.


"Ainda havia bondade no mundo, mesmo quando não se podia vê-la sempre. Talvez fosse isso o que mamãe havia esquecido, que mesmo quando se perdia tudo o que se podia perder, alguém vem e te dá algo gratuitamente."

Assim que Rowan recebe a foto, a larga no fundo de sua bolsa e a esquece. Mas depois de conversar com Bee, antes de revelá-la, ela procura o misterioso homem que lhe entregou o negativo, na esperança de descobrir mais sobre a foto. E se tudo desse certo, sobre ele também... rs. 

Ao descobrir o endereço de Harper, Rowan decidi ir até ele e lhe contar que o negativo não é dela. Mas o que acontece quando ela o encontra e muito mais do que ela poderia imaginar. Ela encontra um rapaz de apenas de dezoito anos viajando sozinho pelo mundo. E ela encontra um amigo, com quem pode conversar, com quem se abre pela primeira vez e com quem mantem contato.

A relação de Rowan e Harper é muito fofa! Eles são super amigos de início, e ele a apoia em tudo. Além de ser super prestativo, e fascinado em Stroma. Irmanzinha de Rowan. O que acho mais bonito nos dois, é que realmente é tudo super inocente. Ela está passando por uma barra e ele está ali para ajudar. É lindo.

No início do livro, tudo se arrasta um pouco. Mas depois que se pega o ritmo, o livro passa voando! A história se desenvolve de forma tranquila, mas os acontecimentos do final são de emocionar qualquer um. Eu passei o livro todo com aquela vontade de chorar presa na garganta. E no fim, não segurei! 


"Apenas que haviam estado em um lugar tempo suficiente para se transformar em real."

Rowan tem muita coisa com que se preocupar, mas depois de descobrir quem está na foto, sua vida muda completamente. E com a ajuda de seus novos amigos, Bee e Harper, ela acaba entendendo que o único jeito de arrumar a situação que anda sua vida, é vivendo. E encarando sem medo, os problemas sérios que aparecem. 


"E se converteram em santos e gênios da noite para o dia.
Foi o que aconteceu com Jack. Ele não era um santo. Nós apenas éramos vivos."

Essa é uma história de superação. Que narra a luta diária de quem fica, para se refazer. E de como é uma escolha própria, superar a dor ou não. E um livro que mostra que mesmo sendo o caminho mais fácil, desistir nunca é a solução. É um livro inacreditavelmente triste e delicado, sobre recomeços, vidas unidas pela dor, e o valor da amizade.


"A morte é apenas uma daquelas coisas que você pode trabalhar de mil maneiras diferentes de evitar, mas você está sempre caminhando para encontrá-la de frente de qualquer maneira."

Indico muito à todos! É uma leitura super agradável, e de um fôlego só. 


"Ah, eu não sei. Você sempre vai ser você, não importa onde no mundo você está."

Espero que tenham gostado, e que não deixem de me dar sua opinião. 
^ ^

Mil beijokas e até breve!

2 comentários:

  1. Anya lindaaaa, eu amei ♥
    Já quero esse livro pra mim kkkkkk, Já pega a agenda.
    Fiquei super curiosa, ai Meu Deus.

    Ótima sexta
    bjo

    http://tatianecdesouza.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tati! Que booooooom que você gostou do livro! Ele é tão, tão, lindooooo <3! Sério, você tem que ler! Vai amar!!! Depois me conta o que achou! Mil beijokas sua linda!!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo