Lá Vem Resenha: Depois de Você


Autor(a): Jojo Moyes

Editora: Intrínseca

Páginas: 320


Sinopse: Com mais de 5 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, Como eu era antes de você conta a história do relacionamento entre Will Traynor e Louisa Clark, cujo fim trágico deixou de coração apertado os milhares de fãs da autora Jojo Moyes.Em Depois de você, Lou ainda não superou a perda de Will. Morando em um flat em Londres, ela trabalha como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, Lou cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar para a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa que parece capaz de compreendê-la.Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo de terapia de luto. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustrações e biscoitos horrorosos, além de a incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar, quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.



Atenção! Essa resenha pode conter SPOILERS de Como Eu Era Antes de Você...

 Depois de perder o grande amor de sua vida, o que sobra? Essa pergunta parece ser o mantra favorito de Lou, após perder Will. Lou não sabe o que fazer de sua vida agora. O luto ainda é uma dor forte o suficiente para deixá-la confusa e sua vida, novamente, está fora do prumo. A única coisa que ela tem em mente, é o fato de viver intensamente sua vida. Como Will gostaria que vivesse, mas como fazer isso, quando seu coração está partido? Ele pensou que a havia ajudado, mas só bagunçou ainda mais a sua vida.

"Às vezes reparo na vida das pessoas à minha volta e me pergunto se não estamos todos destinados a deixar um rastro de estrago. Não são só seus pais que fundem a sua cuca. Olhei ao redor, como se de repente tivessem me entregado óculos limpos, e notei que quase todo mundo carregava a marca brutal do amor, fosse perdido, roubado ou simplesmente sepultado num túmulo. Will tinha feito isso com todos nós, agora eu conseguia perceber. Ele não tivera a intenção, mas, ao se recusar a viver, causara isso."

É com esse tipo de pensamento, que depois de mais um dia duro de trabalho, em um pub sem graça no aeroporto, vendo as pessoas indo e voltando, todas com um propósito e futuro, que Lou ao chegar em casa resolve beber. Apenas uma taça! Que viram duas, três, até ela estar completamente bêbada! E claro, - é de Lou que estamos falando! haha - cair do terraço do prédio onde mora.

"Nunca se sabe o que vai acontecer quando se cai de uma grande altura."

O começo do livro é bem triste! Na verdade, esse livro é pura emoção e tensão. Com novas aventuras, indas e vindas, cenários e pessoas novas, o tema central ainda é a dor e a falta que Will Traynor faz. E olha, é bastante! Não desgostei da história, ou de Sam. Mas confesso que a toda hora pensava em Will. O que ele faria, o que ele diria, como agiria, em como ele faz falta... É difícil! Entramos em um estado de luto junto com a Lou. E é impossível não estar se sentindo assombrada, como ela, enquanto o livro decorre tão cheio de tensão, dor e saudade. 

"Amei um homem que me mostrara o mundo, mas que não me amara o suficiente para permanecer nele. E no momento eu estava morrendo de medo de amar alguém que retribuía meu amor"

A vida de Lou está bem complicada, e é muito duro vê-la sem aquele sorriso aberto no rosto, ou suas roupas espalhafatosas. Pior ainda, é vê-la constantemente com ar pesaroso, lágrimas e seu jeitinho  alegre guardado com outras lembranças no guarda roupa. Chorei com Lou, sofri por ela e senti cada emoção conflitante que ela sentiu. 

"Muita gente vai atrás da própria felicidade sem pensar no estrago que deixa para trás."

Após a queda, tudo que Lou quer é reconstruir sua vida. Aproveitar sua segunda chance. E após passar uma temporada aos cuidados de seus pais, - que estão piores do que nunca! - em sua cidade natal, cheia de lembranças e gente que a culpa pelo que aconteceu a Will, ela decide voltar a seu apartamento. Mas há uma condição de seus pais para isso, ela terá que participar de um grupo de apoio a pessoas enlutadas! 

"Eu não tinha que ser a vítima, a

pessoa a quem as coisas simplesmente aconteciam."

Como sempre, os personagens secundários marcam presença no livro de Jojo. A autora cria uma base de amizades como cenário de fundo. E embora de início pareçam todos loucos e fora de lugar, no fim, todos tem uma participação muito importante na história. Natan está de volta! A morte de Will não encerrou a amizade desses dois, e fiquei muito feliz que Lou ainda tivesse uma amigo tão preocupado com ela, da época de Will. É reconfortante o modo como ele a trata. Amei esse detalhe! 

Outros personagens importantes são colocados na história, mas as aparições mais emocionantes e de partir o coração são as da mãe de Will e da família de Lou. Lou tem um novo conflito para enfrentar em sua família. Após recomendações de sua irmã - que continua aprontando e sendo um amor, como sempre - a mãe de Lou resolveu virar feminista! E a luta está travada! Como se já não bastasse sua própria dor, ela tem de lidar com uma mãe revolucionária e um pai carente! 

Já na família de Will, as coisas não podiam estar piores. O pai de Will casou-se novamente e está prestes a ter seu primeiro filho com a nova esposa. Mas não parece feliz. Já sua mulher, não parece, ela não está, de forma nenhuma feliz. A sra. Traynor, se tornou um espectro. E confesso, que chorei horrores nessa cena. Fiquei torcendo para que estivesse onde estivesse, Will visse o que fez com as pessoas que o amavam. Me senti triste, mas também com muita raiva de Will! 

"Gosto de dizer que, embora o nome do grupo seja Seguindo em Frente, nenhum de nós segue em frente sem olhar para trás. Seguimos em frente sempre levando aqueles que perdemos. O que temos a intenção de fazer em nosso pequeno grupo é assegurar que trazê-los conosco não é um fardo impossível de carregar, um peso que nos mantém empacados no mesmo lugar. Queremos sentir a presença dessas pessoas como uma dádiva."

Porém, o grande boom do livro, se deve a um personagem totalmente novo e que vem com o poder de uma bomba atômica em cima de Lou. Sua vida já tão complicada como estava, não precisava de mais um problema. E que problema gente! Sério, quase tive um ataque cardíaco quando descobri. Preparem-se, esse livro é para os fortes! 

"Todo mundo pode traçar um caminho de volta, Louisa. Não se castigue por causa disso."

Lou está determinada a transformar a vida dessa nova pessoa, que parece tão sozinha quanto ela, e que chegou em sua vida como uma bomba, mas que ela considerou um presente. E foi nessa hora, que amei Lou ainda mais do que imaginei que se podia amar um personagem! Queria tirá-la de dentro do livro, abraçá-la e dizer que ficaria tudo bem. 

"E, embora a princípio isso pareça impossível, todos nós vamos chegar ao ponto em que conseguiremos ficar alegres por essas pessoas sobre quem discutimos, por quem choramos e sofremos terem existido e convivido conosco. E não importa se essa pessoa nos foi tirada depois de seis meses ou sessenta anos, nós tivemos a sorte de tê-la conhecido. — Ele balançou a cabeça para enfatizar. — Tivemos essa sorte."

O que mais amo em Lou é sua persistência. Ela não desiste nunca e luta incansavelmente pelo que acredita. Mesmo quando parece perdido, quando não há apoio nenhum, ela sabe que vale a pena e vai até o fim. Mesmo quando sua irmã, mãe e todos acharam ser um desperdício de seu tempo e vida, quando todos disseram que estava ficando louca, e quando a paciência lhe faltou, ela não desistiu. Ela sentia que devia isso, e cumpriu com seu dever lindamente.

"Não sou o tipo de pessoa que consegue deixar alguém para trás."

Odiei as pessoas, por passarem por ela e não enxergarem sua dor. Odiei sua família por não apoiá-la, mesmo entendendo-os e odiei Lily, por ser tão difícil de ser ajudada, e tão terrivelmente cabeça dura! Houve momentos, que no lugar da Lou, não sei se teria aguentado. 

Mas não é só de dor e sofrimento que a vida de Lou é feita não. Há um pouco de calmaria durante a tempestade. E essa calmaria se chama Sam. O charmoso paramédico que a salvou no dia de seu acidente. Sam é um personagem extremamente cativante. Um homem bom, generoso, paciente, cavalheiro e compreensivo. Não há como não gostar dele. Embora seja um pouco estranho vê-la com outro homem, é bom ver que Lou encontrou alguém digno e merecedor de seu amor. 

"— Senti saudade, Louisa Clark.Então fico com vontade de contar. Quero dizer que não sei o que sinto. Quero ficar com ele, mas estou com medo. Não quero que toda a minha felicidade dependa de outra pessoa, não quero ser refém de destinos que não consigo controlar."

Nesse livro acompanhamos uma história totalmente nova. O amor compartilhado por Lou e Sam é totalmente diferente do compartilhado entre Lou e Will. Mais pé no chão, menos aventureiro, mais real e provável. Cheio de altos e baixos, com direito a um escândalozinho a cara da Lou! rsrs na portaria do prédio, muito amor e paciência, conseguiu me convencer. E olha, Sam teve que ter muita paciência mesmo! Já que Lou, mesmo se apaixonando por Sam, só sabia falar de Will. Até eu já estava ficando incomodada! kk. bateu vontade de entrar no livro e dar umas dicas para ela.

"Só existe uma resposta, e posso dizer qual é porque convivo com isso todo dia. A gente vive. E se joga em tudo, tentando não pensar nos ferimentos."

Mas para finalizar, Depois de Você trata-se de uma história de amor e dor. O luto em sua aparência mais crua e dolorida. As lembranças de algo que poderia ter sido, e a luta constante e diária pelo recomeço. Pelo que ainda pode ser. Uma história absurdamente comovente,  dolorosa e delicada. Não se iluda, esse livro vai te fazer chorar! Peguem os lencinhos!! 

"Era como se uma luz tivesse se acendido: a única forma de evitar ser deixada para trás era começar a seguir em frente."

Termino recomendando muito!!! Mas estejam preparados, peguem os lencinhos, sentem-se confortáveis e de preferência, não o leia em público. Só para não ter que andar explicando o porque das muitas lágrimas... haha. 

"Imaginei a silhueta de Nova York e me dei conta de que ninguém é realmente livre. Talvez toda liberdade — física e pessoal — só viesse às custas de outra pessoa ou outra coisa."

A única coisa que me deixou indignada, foi o final. Novamente, Jojo não encerrou o ciclo. Não há um fim. Ela recomeça uma nova fase da jornada. E com esse fim aberto, em que eu não sei o que será do amanhã, só posso me perguntar se haverá uma nova continuação, e se isso será saudável para a história. Diante tudo isso, só o que me resta é confiar que Lou irá se acertar dessa vez. E se a Jojo quiser, que ela volte logo! 

“Você não precisa deixar que uma única coisa seja aquilo que define quem você é.”

Para ler ouvindo...

Keira Knightley - Like a Fool (tão delicada e triste quanto o livro, foi a combinação perfeita para um tsunami de lágrimas... Mas vale a pena!)


Espero que tenham gostado e que me contem, já leram? Querem ler? 

Mil beijokas e até breve! ^ ^ 

2 comentários:

  1. Olá!
    Desde que vi o trailer do primeiro livro fiquei loucaaa. Já reservei ele na biblioteca da minha cidade e só tô esperando <3
    Adorei a resenha!

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza de você vai amar! É muito lindo, ao extremo! Em compensação, é muito triste também... Então não esqueça os suprimentos básicos de sobrevivência para o período de ressaca literária. Beba bastante água - porque vai se desidratar de tanto chorar! - e não esqueça os lencinhos! kkk Quando ler, me conta o que achou!
      Mil beijokas e volte sempre!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo