2

Veronica Roth Fala Sobre seu Novo Livro em Entrevista! (Atualizado!!)


Hey amores e amoras! Essa é para os fãs de Divergente, que já estavam começando a ficar com saudade da diva Veronica Roth. O seu novo livro, primeiro de uma duologia, teve seu lançamento confirmado no Brasil, pela linda editora Rocco!!! dancinha da vitória, bate palmas para a editora, obrigada Deeeeeus!kkk O livro deve chegar por aqui em lançamento simultâneo em janeiro de 2017!


Como já anunciado, a autora revelou algumas novidades importantes em uma entrevista ao site Entertainment Weekly. Confiram!



01. Você pode nos dar uma visão geral de "Carve The Mark" em suas próprias palavras?


A história se passa no espaço, e é sobre dois irmãos que são sequestrados por um ditador de um país inimigo. A fim de salvar a vida de seu irmão, um deles, Akos, tem que trabalhar com alguém que é supostamente seu inimigo, mas acaba sendo algo mais.

02. De onde você tirou isso?


Deus, é tão estranho, porque veio de tantos lugares diferentes. Mas, essencialmente, escrevi uma versão louca de um protótipo bem cedo, quando eu tinha 12 ou 13 anos. Apenas a ideia básica de o que aconteceria se um dos membros de sua família fosse tirado de você, e então voltasse depois de ser sequestrado, de uma maneira diferente. Ao longo dos anos, eu nunca completamente deixei essa ideia ir. Eu só ficava mudando de ideias, e então finalmente descobri a maneira que daria certo.

03. Então você retornou a ele depois de todo o material de divergente, ou você estava trabalhando pouco a pouco durante?


Bem, é engraçado. Eu esperei um tempo e então voltei para esta história, ai tentava encontrar uma maneira de fazê-la funcionar e então eu desistia, e voltava a trabalhar em Divergente.

04. Parece que ele deve ter um lugar especial em seu coração já que está com você há mais de uma década.


Sim, ele realmente tem. Eu acho que estou obcecada com a ideia de você mudar e ainda conseguir se encaixar em sua família – porque a família é muito importante para mim. Na minha família, temos sido capazes de mudar e crescer, mas ainda encontrar maneiras de continuar grudados. Então, talvez é de onde o livro vem. Mas é uma história muito pessoal para mim.
05. Eu também sinto que você está realmente intrigada com esse conceito de um pré-determinado destino. Por que isso a fascina?


Suspense não é a única tensão que pode existir em uma história – há também medo. Então não é como, “O que vai acontecer a seguir?”, mas mais como, “Oh meu Deus, isso está vindo. Como é que vai acontecer? "
 06. Por isso é mais sobre descobrir o caminho do que o final.
Sim. É apenas um tipo diferente de surpresa na história. Você quer que os leitores sejam surpreendidos – e eu faço coisas invertidas, controvérsias as vezes. Mas esta é uma nova experiência.
07. Certo, porque depois há toda a questão de, “Você tem que ser amarrado ao seu destino, ou isso pode mudar?”


Isso é essencialmente uma questão de construção de mundos. Eu vou aderir ao sistema ou não? Eu ainda… bem, espere e verá.
08. Qual é o seu processo de construção de mundos? Onde você começa, e como você consegue manter tudo em linha reta?


Eu aprendi muito escrevendo os livros de Divergente, como “planejar com antecedência”, e “manter o controle.” Eu amei escrever esses livros, mas quando chegou em “Convergente”, eu estava tipo, “eu tenho seguido algumas regras muito difíceis, porque eu não pensei nisso direito.” Eu estava definitivamente um pouco mais relaxada com os livros de Divergente. Desta vez, eu decidi, “Não, você vai pensar através destes planetas, como eles funcionam, como eles se parecem, do que eles são chamados, com que linguagem trabalhar, todas essas coisas. Se vira.”
09. Como é que surgiu os nomes das pessoas? Este livro tem alguns bons: Akos, Cyra, Ryz. Eles soam como nomes antigos.


Meu pensamento era, eu não quero que soe como uma linguagem que você já ouviu, porque há muita fantasia lá fora, onde você consegue pronunciar os nomes, o que é ótimo. Mas eu só não queria que parecesse coisa ocidental. Eu queria que fosse estranho. Então eu pesquisei sobre o conlang, que é “línguas artificiais” – algumas pessoas fazem isso por hobby. Eu não sou uma dessas pessoas. Eu cheguei a estes pares de vogais e consoantes, ou trios, e acabei fazendo uma lista dos sons que eu queria.

O livro,Carve The Mark, será publicado em 17 de Janeiro de 2017. Sem data ainda, no Brasil.

Mas e aí amores o que acharam? Vem novidade quente por aí! Já amando essa nova história da tia Veronica. E vocês?

Mil beijokas e até breve! :*

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi, Lu!
      Somos duas! Concordo com você, acho que nesse livro ela se supera. E como sou fã de "Divergente", a ansiedade é dupla! kk.
      Mil beijokas e volte sempre!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

Tecnologia do Blogger.