8

Lá Vem Resenha: Sempre Fui Sua



Sempre Fui SuaAutor(a): Penelope Douglas

Editora: Universo dos Livros 

Páginas: 360


Sinopse: Primeiro volume da série “Fall Away”, Sempre fui sua narra a história de Tatum Brandt e Jared Trent. Os dois cresceram juntos e se davam muito bem na infância, mas na adolescência essa relação é transformada em um ódio mortal. Jared não perde uma oportunidade de humilhar sua ex-amiga que, pouco a pouco, começa a nutrir um desejo de vingança por ele. Amor ou ódio? Qual será o real sentimento entre os dois? Será que Tate vai perdoar Jared e dar uma chance de reconhecer o seu verdadeiro amor? Será que, na verdade, ela sempre foi dele?



Houve uma época em que eu e Jared éramos inseparáveis, como os polos opostos de dois ímãs.

Hey bookaholics! Eu tenho a grave mania de quase sempre não gostar do que agrada as grandes massas, então, vamos a mais um desses casos...

Há, em todo verdadeiro coração de mulher, uma faísca de fogo celestial que se oculta à luz dos dias de prosperidade, mas que se acende, irradia e brilha nos momentos sombrios da adversidade.– Washington Irving

Essa foi mais uma das leituras da maratona de férias do Clube Entre Leituras. Clube de livros virtual, onde lemos em conjunto e debatemos nossas leituras. Participe também!

Sempre fui Sua, foi a minha segunda leitura da maratona, da qual eu tinha altas expectativas, mas que infelizmente, não me pegou. No início do livro até que as expectativas estavam sendo correspondidas. Temos uma garota com o coração muito machucado, e um garoto que não se cansa de machucá-lo. Mas do meio pro fim...

Sobreviver é a melhor vingança.

O livro traz a história de Tatum e Jared. Amigos desde a infância, arqui rivais desde a adolescência. O livro é narrado apenas por Tate, o que nos faz ter uma visão bem unilateral da situação. O que no caso, me fez ter uma pequena enorme aversão pelo desalmado Jared Trent.

– Sabe o que é isso? – Com o dedo do meio, afaguei o canto do olho. – Sou eu, esfregando a última lágrima que você vai conseguir tirar de mim.

Acho que a frase entre o amor e o ódio define bem esse livro. Se eu amei, se eu odiei? Não sei. Estou exatamente entre os dois... Tate é uma menina comum, que perdeu a mãe cedo e tem seu pai militar como único apoio. E sua vó, em algumas ocasiões especiais. Após perder a mãe, Tate e seu pai se mudam para o mesmo bairro em que Jared mora. Ainda crianças, a amizade ou já era amor? é instantânea. Mas ao entrarem no ensino médio, após uma temporada com seu pai, Jared transforma a vida de Tate, sem aviso prévio, em um inferno. 

– Se um dia eu encostar as mãos em você –disse, com uma voz baixa e rouca –, você vai querer.

Tate, é forte. Aguenta firmemente as humilhações diárias de Jared, até ir passar uma temporada na França, para deixar a poeira abaixar, e ver se Jared a esquece. Mas quando Tate volta, a história tem que mudar! Ela não poderia mais simplesmente fingir que não existia. Dessa vez, se ele não a deixasse em paz, ela iria revidar. 

Apesar de ele esconder as emoções, eu conseguia enxergar seu medo. É disso que são feitos os valentões.

O grande problema, é que Jared, mesmo estando disposto a deixá-la em paz, volta a incomodar. É claro que os problemas surgiriam, afinal, eles são vizinhos. Mas Tate, não é mais a menininha frágil de um ano atrás. E aí, as coisas pegam fogo! kk. Realmente nesse início, eu me vi fascinada por uma Tate altiva, feroz, inteligente, esperta e defensiva. Não no sentido de fala, mas de ação mesmo! Ela parte para o corpo a corpo, sem ter medo de perder. A menina se garante! kk. Eu amei isso!

Agir de maneira indiferente não é esquecer.

Na verdade isso foi o que mais gostei no livro. O modo como a autora conseguiu criar uma mocinha que não foge à luta. Ela vai com tudo! E não é pra perder, nem tentar. É pra ganhar! Eu adoro mocinhas fortes, e estava convicta de que Tate, iria liderar a minha lista de favoritas no tópico, quando aconteceu a maior desconstrução de personagem que já vi na minha vida.

O Jared é o típico bad-boy atormentado. Depois de ir passar as férias com o pai, que há muito ele não via, ele volta completamente mudado. Literalmente marcado, e por algum motivo, odiando Tate Brandt. O que eu mais odiei nele, foi a forma como ele faz e fala as coisas para magoar profundamente. Não consigo imaginar como se ama uma pessoa, que vai no seu ponto mais fraco, o mais delicado e te machuca ali. Sem dó, nem piedade. Ele é cruel. 

– Tatum? (...) Não me importo sevocê esteja viva ou morta.

Mas ao decorrer da história, mudanças acontecem. E entre um romance envolvendo Jared e a melhor amiga traidora, megera, falsiane #@&%#$! da Tate, um novo relacionamento da nossa mocinha, e muitas corridas automobilísticas proibidas, os embates começam a surtir efeitos em Jared. E o pior começa...

Amava tudo aquilo e te amava. Mas agora? (...) Achava que todos os idiotas dirigissem carros alemães, mas parece que os babacas de Mustang também sabem deixar cicatrizes.

Os personagens secundários, são muito importantes na trama. Mas vou contar uma coisa, por mim, a única pessoa que eu salvaria desse livro é a Tate. O melhor amigo do Jared, é todo engraçadinho, cheio de charme e metido a valentão. Mas ele não é de todo mal, o problema dele se chama Jared. Ele é muito, muito fiel ao Jared. O obedece como a ninguém. E por isso, maltrata a Tate também. Olha que fofo! SÓ QUE NÃO! Eu odiei o fato dele não ter nem um pingo de personalidade. Odiá-la por que o Jared mandou... Sendo que no fundo, ele é um cara mais legal do que eu podia imaginar.

A amiga da Tate, é uma traidora. Caiu como uma boba nas armadilhas do Jared, e foi capaz de trair sua própria amiga com o pior inimigo dela. É sério isso? Pode isso produção?? Tive que tomar várias lufadas de ar, para poder suportar essa fase da leitura sem matar ninguém, ou jogar o livro pela janela com prazer... 

O pior de tudo, é que a Tate aguenta isso. E no final, ainda fica meio insegura sobre se sua amiga ainda nutre sentimentos pelo Jared... Aff gente, não! Faça-me o favor né Tate! Tiveram momentos em que me peguei pensando em como eu faria a Tate abrir os olhos. E nenhum deles envolvia uma conversa civilizada... haha. 

Jared podia me pressionar, me machucar, conseguir o que quisesse, mas mostrar a ele que me machucou, só que não acabou comigo, foi como venci.

Outro ponto detestável do livro, é o rumo que as coisas tomam depois desse romance entre o Jared e a amiga dela. Ela começa a fraquejar. Como eu disse, ele sempre vai no ponto fraco. Ele é um predador, não vai pra brincar não. É pra matar mesmo! E é por isso, que a autora consegue prender o leitor em uma teia de nervosismo, curiosidade, amor e ódio, em uma corrida angustiante pela verdade, o grande segredo, o porque de tudo, até o fim do livro. 

O passado dura para sempre, o futuro não chega nunca.

Não dá pra largar! Não até entender o que fizeram com o Jared. Depois de muitas lágrimas, sofrimento e raiva, o segredo é revelado. É bem pesado! Realmente, dá pra entender tamanha raiva. Tem  a ver com seu pai, com a Tate, com sua mãe - ex alcoólatra, que passou a infância do filho bêbada, sem se importar muito com ele - Mas se justifica o que ele fez com ela... Não, não justifica. E pra mim, foi pura covardia. Descontar em quem menos tinha a ver com a tragédia pessoal dele. Eu não o perdoaria... #rancorosacomessepersonagem! kkk

Todas essas pessoas tinham vidas, Tate. Tinham famílias e sonhos. Elas não querem que você tenha medo delas. Apenas querem ser lembradas.

Depois que você pensa que já engoliu o que tinha que engolir, passado por tudo que tinha que passar, lá vem a autora conturbar a vida dos dois e a nossa principalmente! kk novamente. Pois é, quando eles enfim estão se acertando e botando os pingos nos "i's" a autora resolve detonar com um final de terminar de rachar o coração. Sério, achei desnecessário o que ela fez no final. Pra mim não precisava de mais drama, sofrimento e humilhação. Já bastava o que a Tate tinha sofrido durante o livro TODO! Mas é claro, que lá vem mais bomba. Pra mim foi a gota d'água, mas... Ela contorna essa situação, e nos presenteia com um final a lá bonitinho.

– Ontem trouxe a bexiga pra sua mãe – admitiu Jared, como se estivesse lendo minha mente. – Por quê? (...) – Porque ela te fez. (...) – Você é a melhor amiga que já tive e queria dizer obrigado pra ela.

O final não é sensacional, espetacular nem nada. Mas consegue cumprir seu papel, e nos deixa satisfeitos com o que temos. Mas como o livro é o primeiro de uma série, ainda vem muito mais sofrimento por aí. E conhecendo o Jared, esse sofrimento vai todinho, e diretinho para a sortuda Tate Brandt! kk. 

Enfim, super indico a leitura à todos que curtem livros intensos, com uma pegada hot. Um livro cheio de altos e baixos, muita emoção, adrenalina e explosões emocionais. Não dá pra largar, mas quando acaba ficamos exaustos! kk. Mais do que indicada a leitura, mas já de sobreaviso, livro intenso, pode causar muita, muita raiva! kkk

E aí amores, o que acharam? Já leram? Pretendem ler? Me contem! É amor, ou ódio?

Beijokas e até breve! ^ ^ 

8 comentários:

  1. Olá!
    E bota raiva nisso, hahaha. Eu li o livro e confesso que não curti tanto ele, eu esperava muito mais. Adoro esses livros em que o casal se odeiam em um momento e em outro estão rolando nos braços um do outro, mas... acho que fase "valentona" da Tate deveria ter sido prolongada, ela deveria ter se tornado uma personagem que não perdoa mais tão facilmente, algumas coisas, na minha opinião, deveriam ter sido mais estendidos para não ficar tão superficial.
    Adorei a resenha, muito completa <3

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi flor! Fico tão feliz quando minha resenha consegue passar o que eu senti, e nesse caso, foi muita, muita raiva! kkk. Eu também não curti. Odiei o modo como a autora desenvolveu o casal, e desconstruiu a Tate. O que me prendeu, foi a curiosidade de saber o porque do Jared ser tão cruel. Mas se não fosse isso, acho que teria abandonado... kk.
      Mil beijokas linda! E muito obrigada pelo carinho <3

      Excluir
  2. Oi, Anya!
    Sua resenha foi meio controversa e me deixou na dúvida se leio ou não hahahah
    Esse livro vai ficar no limbo por enquanto
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa no limbo mesmo Luiza! kk. É difícil ler e saber se ama ou odeia o livro, porque como eu disse no início da resenha, eu estou entre isso. Amar, ou odiar. Sabe, ele causa muita confusão sentimental, nos deixa exausto no fim, mas não dá pra largar apenas pelo mistério que ronda o Jared. Depois que descobri o porque dele ser assim, senti que o resto era conversa mole, kk. Eu não gostei realmente do livro apenas pela desconstrução da Tate, e a crueldade injustificável do Jared. Pensa bem antes de ler! Bjokas linda!

      Excluir
  3. Nossa! Eu fico arrasada quando crio expectativa do livro e não é essa cocada toda. Também tento fugir do livro de massa. Mas, tem horas que precisamos ler para concluir. Mesmo que o saldo não seja positivo, como neste caso.
    Ah! e quanto ao final.... eu tenho sérios problemas com final de livro kkkkkkkkkk
    Sua resenha está top.... arrasou!
    Beijos. Paty leiturasplus.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem chato quando isso acontece né Paty? Tô nessa também, mas tava todo mundo falando bem, e eu já o tinha na lista, então li logo, mas não foi o que eu esperava. Prende pelo mistério, e começa muito bem. E no desenvolvimento e no final - principalmente - que estão os problemas. Eu também tenho esse problema Paty! O livro começa bem, vai bem, e quando chega o final... Ai que raiva!!! kkk.
      Obrigada pelo carinho de sempre! Beijokas linda.

      Excluir
  4. Hey Anya! Não sou o tipo de pessoa que cria grandes expectativas com livros desse gênero, então não esperei muito de Bulling e talvez graças a isso, achei esse um livro bom, o fato da autora ter fugido do bad boy fofo foi algo que me chamou a atenção! Não é nem de longe o melhor do gênero, mas ainda sim vicia e não te deixa largá-lo antes de terminar! Gostei muito da sua resenha sincera e concordo plenamente que aquela amiga de Tate - em outras palavras e me desculpa pelo palavriado - era uma VACA BURRA! kkkkkkk

    Beijos
    Dani Cruz
    blog-emcomum.blogspot.com.br
    Twitter - @blogemcomum / Insta - @blogemcomum / Fanpage Em Comum

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre espero demais dos New Adults Dani, me ensina a não criá-las??? kkk. Eu não gostei, mas não conseguia largar! Foi o cúmulo! kkk. parecia feitiço... rsrs. Realmente esse fato do bad boy, ser realmente bad, foi impactante. Ponto pra ela, mas ao mesmo tempo, ele era muuuuito babaca! Não aguento esse tipinho sabe? É muita covardia... Obrigada! Fico muito feliz que tenha gostado... Acho que passei bem o que senti, muita indecisão! kkk. Sobre a "amiga" da Tate... é uma @#!$%&*#@$% kkkkk
      "Vaca Burra" kkkkkkkkkkkkkkkkk Morri aqui! Só você mesmo Dani! Essa definição é perfeita pra ela! Amei! haha.
      Mil beijokas linda. Não some não! Adoro suas visitas!!! ^ ^

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

Tecnologia do Blogger.