{Lá Vem Resenha} O Jardim dos Esquecidos


Autor: V. C. Andrews 

Editora: Novo Século

Páginas: 416

Série: Saga dos Foxworth - Livro 01 

Sinopse: A história que já conquistou milhões de pessoas no mundo todo.
Eles eram uma família perfeita e despreocupada, até que uma tragédia ceifou sua felicidade. Por causa de uma herança que vai garantir seu futuro, as crianças devem ser escondidas, como se nunca tivessem existido. Serão mantidas no piso superior da vasta mansão de sua avó – sua mãe amorosa lhes assegura – por apenas poucos dias. Mas o que era para ser somente dias torna-se meses, anos de agonia. Cathy, Chris, e os gêmeos Cory e Carrie veem sua sobrevivência ser entregue a uma avó cruel e moralista. E eles terão de viver neste mundo apertado e isolado, pois esta é sua única opção.
Esta obra-prima de suspense psicológico, primeiro volume da saga da família Dollanganger, continua a ser o mais famoso e intrigante romance de V.C. Andrews. Foi adaptada, pela segunda vez, para o cinema, com lançamento em 2014. O segundo livro da série, Pétalas ao vento, foi adaptado para a TV e estreou em maio de 2014 no canal americano Lifetime; a rede anunciou a produção de mais duas obras da sequência para 2015.




Hey amores e amoras! Hoje trago a resenha de um livro que mexeu tanto comigo, que ainda não sei o que escrever aqui. Sabe aquele livro que é tudo o que você imaginava e você adora, mas te deixa exausto? Foi exatamente o que aconteceu comigo.

Em O Jardim dos Esquecidos, conhecemos a história da família Dollanganger. Cheios de amor, carinho e muitos mimos, não falta nada as conhecidas como bonecas de Dresden, por sua aparência perfeita. Com cabelos loiros, olhos azuis e pele alvíssima, é quase inacreditável a beleza que as crianças possuem. 

Porém, após a morte do pai, a família fica completamente desestruturada. E o que um dia foi o paraíso, começa a se complicar. Sem nenhuma formação, profissão, ou mesmo, força de vontade. A mãe das crianças se vê sem saída. Dívidas se acumulam e os pertences da família, vão a leilão. Sem nenhuma outra perspectiva em mente, a mãe das crianças resolve recorrer a sua última opção. Voltar a casa de seus pais.

Essa primeira parte do livro é chocante. Não pelo que você vai ler. É apenas admirável a forma como as crianças são tratadas pelo pai e pela mãe. Mas o que choca, é a forma brusca de como tudo isso muda. Eles eram tratados a pão de ló. Um pai presente, carinhoso e extremamente preocupado, enchia os filhos de presentes. A mãe, fazia de tudo para agradá-los e mimá-los. E assim, de uma hora para a outra, não há mais nada. 

Cathy, Chris, Carrie e Cory, são irmãos muito amados. Implicantes um com os outros, são ativos, brincalhões e felizes, como qualquer criança de suas idades. Porém, ao se mudarem para a casa da avó, suas vidas mudam completamente. De forma dura e cruel, as crianças são condenadas a pagar pelos erros de seus pais. 

A história envolvendo a mãe e o pai das crianças, é realmente surpreendente. Na verdade, não dá nem para imaginar, o que nos vai ser revelado. O cruel da situação, é que pelos erros dos pais, as crianças são condenadas. E é assim, que Cathy, Chris, Cory e Carrie, acabam presos em um porão, na velha casa da família Foxworth.

Minha relação com essa história foi do puro amor ao ódio. Não pela história, mas pelos personagens. A mãe das crianças começa o livro muito bem. Doce, amável e prestativa, eu não conseguia imaginar como ela se tornaria a vilã da história dos próprios filhos. Mas ao voltar a casa dos pais, ela voltou a ser a adolescente que era, antes de sair do domínio de sua mãe perturbada e seu pai controlador.

Não tarda a ser perceptível, as mudanças na personagem. O dinheiro, o poder e as vantagens da vida cheia de luxo e mimos, que seu pai pode lhe proporcionar, logo lhe sobem a cabeça. E a mãe carinhosa e preocupada, que conhecemos no início do livro, da lugar a uma mulher fria, calculista, mentirosa, que é capaz de qualquer coisa para herdar a fortuna de seu pai. 

Já a avó das crianças, é daquelas fanáticas maluca religiosa. Uma mulher austera e fria, não foi capaz de dar amor a filha e nem aos netos. A única coisa a que a velha se limita, é levar a comida as crianças pela manhã, em uma cesta de piqui-nique. 

Cruel, não pensa duas vezes antes de castigar as crianças brutalmente, por muito pouco. Suas regras inacreditáveis, fazem das crianças escravos do medo. E sua postura dura, assusta não só os netos, mas até o leitor.

Embora tenha esse lado psicológico, não consegui encontrar características de terror. Está muito mais para um thriller psicológico. De qualquer forma, o livro aborda temas capazes de nos deixar boquiabertos. Algumas situações são realmente perturbadoras.


Mas o ponto alto do livro com certeza, são as crianças. A relação de irmandade e o fato de assumirem a responsabilidade materna e paterna por seus irmãos menores, é lindo e de rachar o coração. 

Cathy é a minha favorita! Forte, decidida e muito perspicaz, logo percebe que sua mãe não é a mesma e que as coisas não são bem o que ela diz ser. Cheia de força, amor e coragem, essa menina aguentou coisas que um adulto, jamais conseguiria aguentar. É cada coisa pela qual ela passa, pelos irmãos e até por si mesma, que ou você fica perplexo, ou vai chorar... São as duas únicas opções, e sim, eu chorei! kk.

Carrie e Cory, são dois mimadinhos, birrentos, que muito pequenos entregues a autoridade ou no caso falta dela dos irmãos, não sabem respeitar. Ansiosos, pequenos e inconformados com o fato de não poderem ir brincar no jardim, conseguem ser bem irritantes às vezes. Mas na maior parte do tempo, dá muita dó.

Já o Chris, é um personagem bastante controverso. Às vezes, confesso, me assustei com ele. Muito sério, sabichão, estudioso e confiante na mãe, não vê as coisas acontecerem bem diante de seus olhos. Diante algumas situações, seu jeito sério e frio me deixaram perplexa, mas é realmente bonito o esforço que ele faz para manter à todos vivos. 

Porém, nessa história, as crianças são vítimas. Portanto, não importa o esforço que façam, suas vidas dependem de sua mãe ambiciosa e sua avó fanática. Será que se pode sobreviver quando tudo o que se tem, se resume a um sótão velho e escuro? Nesse livro, a gente descobre, que em um espaço tão pequeno, de um tudo pode acontecer...

Super recomendo a leitura para quem gosta de thrillers, ou terror. Você fica com aquela sensação de que algo ruim vai acontecer o tempo todo! E a autora consegue brincar com nossos valores... O tempo todo, nossos princípios e valores estão em xeque. É realmente espetacular!! 

Esse livro faz parte de uma coleção de cinco livros, mas pelo que eu vi, tende a ficar bem ruinzinha a partir do segundo livro. Prefiro manter a imagem bonita que construí com esse, e por isso, não pretendo seguir com a série. Também já existem dois filmes, correspondentes ao primeiro e segundo livros da série, feita pela Lifetime. Adorei o filme! E na verdade, encontrei muita coisa que preferi no filme, ao livro. Super recomendo!! 



Espero que tenham gostado! Me contem: já leram? Querem ler?? 

Mil beijokas e até breve! 

6 comentários:

  1. Uau! Me pareceu bem interessante e também impactante. Gosto de livros que nos provocam ou mexem com nossas emoções, aqueles que nos causam amor e ódio, como você falou, kkk. Esses são, no fundo, os melhores, porque nos incomodam, nos tiram do automatismo, né?! Parabéns pela resenha. Está tão bem escrita e explicadinha que chega dá gosto de ler, haha.

    Ahh, não pude deixar de notar, também estou lendo "Orgulho e preconceito", menina! Kkkk

    Ameiii demais teu blog. Estou seguindo. Também tenho um literário.

    Bjos.
    EU SOU UM POUCO DE CADA LIVRO QUE LI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Mirelle!
      Que bom te ter por aqui!
      O livro é realmente "UAU"!! KK. Muito impactante e forte, mas inteligentíssimo! Esse então, é para você! Ele mexe muito com o nosso psicológico e emocional.
      Concordo com você. Esse tipo de livro nos tira de nossa zona de conforto e nos fazem pensar. É sempre bom se desafiar um pouco, com leituras diferentes. Nesse caso valeu super a pena!
      Awwwwwwnt! Muito obrigada! Fico imensamente feliz que tenhas gostado da resenha.
      Ai, que máximo! Eu estou lendo ele para o clube de leituras do qual participo. Quando terminar, venha me contar o que achou!! Farei resenha dele em breve! ^ ^
      Aaaawwwwnnnnt, eu que amei seu comentário, sua visita e seu carinho. Muito obrigada mesmo!
      Vou visitar e seguir seu cantinho com muito carinho!
      Mil beijokas e volte sempre linda!

      Excluir
  2. Oi Anya! Tudo bem?
    Nossa que livro incrível! Fiquei super interessado nessa temática de thriller psicológico. Crianças que são mantidas "reféns" da própria família num sótão parece dar uma ótima história kkkk
    É uma pena que a série vai decaindo nos outros livros, me interessei tanto nela, agora já não sei o que pensar kkkk

    Beijos!


    -Ricardo, Lapso de Leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey, Ricardo! Tudo ótimo e você?
      O livro é realmente sensacional! A temática dele é super retratada na história, não é aquele tipo muita propaganda e pouco conteúdo, sabe? Ele é mega forte, inteligente e perturbador! kkk.
      Exatamente, elas são "segredos" escondidos no sótão haha. É beeeeem tenso! kkk
      O problema é esse! Não vou prosseguir com a série, porque o primeiro livro é bom demais!! Aí estragar tudo com uma série que vai piorando a cada livro, tô fora! kkk.
      Mas super indico a leitura, apenas, do primeiro! ;)
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Oi, Lu!
      O livro é muito bom! Eu recomendo sim, mas só se você gostar de thriller! E só o primeiro, também. Dizem que os outros são uma negação...
      Mas ele é mega forte, tem que ser lido pausadamente sabe? kkk.
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      Excluir

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo