Primeira Resenha do Ano: Fracture-me


Autora:   Tahereh Mafi
Editora:  Harper Collins
Páginas:  68
Classificação:  3/5

 Meus amores, eu postei recentemente umas notícias aqui no blog, sobre Fracture-me e Unite-me. E comentei que leria logo e o resenharia aqui no blog pra vocês. Então, cumprindo a promessa, foi o primeiro livro no ano que eu li e agora vou resenhar.Vamos a resenha:

Neste conto, que fica entre o segundo e terceiro livro da série, contado pela visão de Adam, nós temos melhor acesso a tudo que está acontecendo no ponto Ômega. Primeiro poque quando era a Juliette contando, tinha uma questão mais interna da parte dela, e o Adam ele traz um pouco mais sobre o lado de fora, sobre a guerra.

Eu comecei o livro, esperando algo como um conto mais voltado a questão sentimental Adam/Juliette. Eis o que encontrei:

"Ver seu rosto ainda faz meu peito doer, mas a verdade é, eu não tenho mais ideia do que está havendo entre nós. Eu prometi a ela que iria achar um jeito de passar por isso – e eu tenho treinado como o inferno, eu realmente tenho – mas depois de ontem à noite, eu não vou mentir: eu estou um pouco apavorado. Tocar ela é mais sério do que eu jamais tinha pensado" pág. 5

Pois é, ainda estou um pouco perplexa, mas foi isso que eu encontrei, um Adam completamente diferente do que eu achava que conhecia. Vocês perceberam em que ocasião e clima começa o livro né?  O livro começa no dia seguinte ao acidente provocado por "Juliette" em que o coitado do Kenji quase morreu! O Adam não tem certeza se realmente, a Juliette não tem culpa, embora ele tenha tentado acreditar plenamente nela, ele não acredita. E isso é injusto, porque ele não é sincero com ela, o que faz os leitores acreditarem que ele confia e acredita plenamente nela, e quando agente lê o que ele realmente acha é um belo de um choque! Pelo menos foi o que eu senti. Me senti um pouco traída também...

Tá, eles vão para batalha, começa a luta sangrenta pela sobrevivência e bang! O que acontece? A Juliette é sequestrada pelo maníaco do Anderson. E aí que a história começa de verdade.

"Isso muda ela, os sorrisos. E esses são os momentos que
me matam um pouquinho."  pág 6

Eles descobrem que pegaram a Juliette, mas não tem tempo de ajudá-la embora queiram, porque algo muito pior está prestes a acontecer.  

A história segue nesse ritmo e o Adam fica muito estranho pra mim. Ele começa o livro tratando o James de forma pouco carinhosa, e depois fica completamente indeciso com relação ao que sente, e se realmente pode confiar na Juliette. O que pra mim foi contraditório, já que no segundo livro ele mata e morre por ela. E nesse ele simplesmente não sabe mais se vale a pena correr o risco.

Bom, eu já estava achando difícil o Adam e a Juliette darem certo, agora eu acho impossível! O Adam conseguiu me surpreender de uma forma um tanto negativa e agora quem ficou na dúvida sobre ele fui eu.

"Isso não é fácil de admitir, mas parte de mim não quer colocar James em riscode novo – em fuga de novo – pela garota que terminou comigo. 
A garota que se afastou de nós.
Eu não sei mais qual é a coisa certa.Eu não sei se minha fidelidade é para com James ou Juliette."

Confesso que por não ser o que eu esperava acabei me frustrando. Mas de um todo o livro é bom! E como sempre me  deixou com aquele frio na barriga, e a sensação de que surpresas inimagináveis até então, virão por aí!

Mas para mim o ponto alto desse conto foi a surpresa que tive com o final. E os dois primeiros capítulos que a autora nos deu de presente no final do conto! 

O próximo livro começa bem onde o outro  parou, mas de uma forma diferente, a Juliette acorda e descobre nas palavras de Warner, que a guerra acabou. 

"Eu me levanto dessa vez. Meus olhos enchem rápido com as lágrimas e eu pisco
e pisco mas o mundo é uma bagunça e eu quero rir porque tudo o que posso pensar é em
como horrível e bonito isto é, que nossos olhos obscureçam a verdade quando nós não podemos suportá-la. O chão é duro." pág 29

Não esperava outra coisa dela. Foi duro pra ela entender o que aconteceu e ela me surpreendeu com sua força e coragem. Percebi que a Juliette vem crescendo a cada livro da série.

"Meu primeiro amor. Meu primeiro amigo. Meu único amigo quando eu não
tinha ninguém e agora ele se foi e eu não sei como me sentir. Estranha, principalmente.
Delirante, também. Sinto-me vazia e quebrada e enganada e culpada e nervosa e
desesperadamente, desesperadamente triste."

Foi quando eu li esse trecho que meu coração se estilhaçou em um milhão de minúsculos pedacinhos sem função alguma. Poxa, o Adam todo indeciso com relação aos sentimentos que nutre por ela, e ela assim! 

Pois é meus amores, o que tívemos em ambos os casos, foram só um gostinho do que vem por aí, já deu para perceber que fiquei surpresa com essa nova fase do Adam, e que não gostei nem um pouquinho! E que continuo na torcida pela Juliette, que embora de vez em quando seja bem irritante, é uma garota forte e guerreira. E o Warner que eu amoooooo e espero que tenha um final maravilhoso! 

Minha cabeça está girando, pensamentos batendo uns nos outros, mas eu engulo
as lágrimas. Cerro meus punhos e tento não gritar e enfio meus amigos no meu coração e
vingança. Eu penso, nunca pareceu tão doce."   pág 32

É isso aí gente linda do meu  S2! Como o livro é curtinho não tinha muuuito o que falar. Mas acho que consegui passar a impressão que tive. E é nesse clima de vingança que eu espero que a Juliette se levante e mostre quem ela é! 

Bjos e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quer me fazer feliz, ou curtiu a matéria? Comente! Sua opinião é o mais importante! Ah, deixe seu link que terei prazer em retribuir o carinho ;)

© Nome do seu Blog - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo